Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama dirige-se ao mundo: estamos mais seguros, apesar das diferenças que não podemos ignorar

  • 333

JONATHAN ERNST / Reuters

Doze anos de impasse depois, foi alcançado um acordo sobre o programa nuclear iraniano. Obama regozija-se: diz que pode ter sido travada mais uma guerra e que, apesar das diferenças que se mantêm (“que não podem ser ignoradas”), o mundo tem algo que celebrar neste dia

Barack Obama congratulou-se esta terça-feira com o acordo alcançado sobre o programa nuclear do Irão, sustentando que permite à comunidade internacional viver com mais segurança. Garantiu ainda que travará qualquer obstáculo à implementação do acordo.

"Os EUA, juntos com os nossos parceiros internacionais, alcançaram algo que durante décadas de animosidade não conseguiu - um acordo abrangente e de longo prazo com o Irão que irá prevenir o país de obter uma arma nuclear", afirmou o Presidente norte-americano numa declaração ao país.

Segundo o governante norte-americano, o acordo alcançado esta terça-feira entre o Irão e o grupo de países 5+1 (Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Rússia e China) mostra que a diplomacia norte-americana pode conduzir a uma "mudança real e com significado."

"A não existência de um acordo significava a hipótese de mais guerra no Médio Oriente. Este acordo torna o nosso país e o mundo a salvo e mais seguro", acrescentou.

O acordo prevê o fim imediato das sanções internacionais contra o Irão logo que o país cumpra com as suas obrigações, diz Obama, alertando porém que serão restituídas caso Teerão desrespeite o acordo.

Reconhecendo que o acordo não coloca fim a todas as diferenças entre os EUA e o Irão, Barack Obama sustentou que o documento abre caminho a uma nova fase, não com base na confiança, mas na verificação. "As nossas diferenças não podem ser ignoradas. Este acordo não vai resolver todas as nossas diferenças com o Irão, mas é um primeiro passo", realçou o Presidente norte-americano, apontando para a ideologia e a violência defendida pelo regime do Teerão, que abre portas ao terrorismo e à violação dos Direitos Humanos.

Obama assegurou ainda que irá travar no Congresso qualquer iniciativa legislativa que vise contrariar o acordo sobre o nuclear iraniano: "Irei vetar qualquer lei que possa evitar o sucesso da implementação dese acordo", garantiu.

O Irão e o grupo de países 5+1 (Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Rússia e China) alcançaram esta terça-feira um acordo histórico sobre o programa nuclear iraniano, após 20 meses de negociações que colocam fim a 12 anos de impasse.

"Todo o trabalho difícil já foi feito e selámos um acordo. Deus abençoe o nosso povo", disse um diplomata iraniano, citado pela Reuters.

O acordo inclui um compromisso sobre a visita de inspetores das Nações Unidas (ONU) a instalações militares e visa limitar a atividade nuclear do Irão em troca da suspensão gradual de sanções que reduziram as exportações de petróleo do país, refere a AP. Uma fonte diplomática disse à Reuters que as medidas previstas no acordo deverão em vigor no primeiro semestre de 2016, segundo o esboço do mesmo.

  • Alcançado acordo sobre programa nuclear iraniano

    Dia histórico. O Irão e os países do grupo 5+1 chegaram esta terça-feira a acordo sobre o programa nuclear iraniano. A notícia é avançada por diplomatas em Viena. Está prevista uma conferência de imprensa esta manhã para o anúncio oficial. Obama fará depois uma declaração