Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tsipras tem dois dias para que parlamento grego aprove o plano

  • 333

O primeiro-ministro grego à chegada a Atenas

SIMELA PANTZARTZI/EPA

O acordo com os credores gregos ameaça criar cisões dentro do Syriza e da coligação governamental, mas irá contar com apoios entre a oposição

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, regressou esta segunda-feira a Atenas, após a maratona negocial que acabou por dar finalmente lugar a um acordo com os credores gregos para um terceiro pacote de resgate económico, mas o plano, que terá de ser aprovado pelo parlamento até quarta-feira à noite, está a criar tensões na Grécia e mesmo dentro do seu próprio partido.

À chegada à capital grega, Tsipras seguiu direto para uma reunião com o seu ministro das Finanças, Euclid Tsakalotos, e outros representantes do Syriza.

O plano estabelece limitações nas pensões, aumento das receitas fiscais e liberalização do mercado laboral, medidas que deverão levar a que diversos deputados do próprio Syriza votem contra, mas o voto a favor de partidos da oposição deverá viabilizar a sua aprovação.

O ministro da Defesa, Panos Kammenos, do Partido dos Gregos Independentes que integra a coligação governamental liderada pelo Syriza, já anunciou que vai votar contra.

Entretanto, uma injeção de capital de emergência poderá levar a que os bancos gregos reabram até sexta-feira.