Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Iraque lança operação para resgatar Anbar ao Daesh

  • 333

Apoiado pelas milícias xiitas, o Exército iraquiano lançou, esta manhã, nova investida militar para libertar Anbar das forças extremistas do autoproclamado Estado Islâmico

As tropas iraquianas lançaram hoje, em colaboração com milícias xiitas, uma operação para resgatar a maior província do país, Anbar, ao controlo dos militantes do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh). Fonte do do comando iraquiano referiu que as forças reberdes realizaram cinco ataques suicidas com carros armadilhados e bombardeamentos para travar o avanço do exército na cidade de Fallujah.

O anúncio da ofensiva surge dois meses depois de os militantes do Daesh terem conquistado Ramadi, alargando o controlo deste grupo extremista para oeste de Bagdade. "Esta madrugada, às 5 horas, foram lançadas operações para libertar Anbar", adiantou um porta-voz militar em declarações à TV, referindo que a ofensiva foi levada a cabo pelo exército, forças especiais e milícias populares xiitas, conhecidas por Hasshid Shaabi.

O Governo do Iraque anunciou que a prioridade era reconquistar Ramadi, mas o foco da investida focalizou-se em Fallujah, a cerca de 50 quilómetros da capital. Esta foi a primeira cidade a cair em mãos inimigas no último ano, meses depois de os jiadistas terem ocupado a cidade de Mossul e proclamado um califado na fronteira com a Síria.

Hadi al-Ameri, comandante da maior força xiita, afirmou ontem na televisão iraquiana esperar que o maior ataque a Fallujah aconteça no final do Ramadão, esta semana. Os habitantes de Fallujah e Ramadi afirmam que estas cidades estiveram sob fortes bombardeamentos na passada madrugada.

A agência espanhola EFE divulgou, ontem, que pelo menos 44 pessoas morreram, entre elas 30 militantes do Daesh, e dezenas ficaram feridas em confrontos e bombardeamentos em vários pontos do Iraque. O primeiro-ministro Haider al-Abadi, temendo ferir suscetibilidades setoriais, manteve reservas em relação à colaboração das milícias populares no resgate de Anbar, mas a perda de Ramadi em maio ditou uma mudança na atitude de reserva inicial.