Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tsakalotos lança último apelo aos deputados gregos: “O que nós pedimos vai acontecer”

  • 333

FOTO ALKIS KONSTANTINIDIS/REUTERS

“É altura de alcançarmos um compromisso com os credores. O que nós pedimos antes, que a dívida ao Banco Central Europeu fosse trocada por dívida ao Fundo Europeu de Estabilidade, vai acontecer", garantiu o ministro grego das Finanças no parlamento, numa sessão em que será votada a proposta enviada aos credores 

O ministro grego das Finanças apelou esta sexta-feira aos deputados para votarem a favor de um novo plano de resgate, sublinhando que ainda existem vários aspetos que tem que ser negociados. Euclid Tsakalotos garantiu que o controlo de capitais será rapidamente revertido e que o país será bem-sucedido.

"Não devemos vangloriar-nos, pois será um acordo difícil. Mas é altura de alcançarmos um compromisso com os credores. Muitas das exigências gregas quanto à dívida serão aceites. O que nós pedimos antes, que a dívida ao Banco Central Europeu fosse trocada por dívida ao Fundo Europeu de Estabilidade vai acontecer", declarou o governante na sessão parlamentar.

Tskalotos afirmou ainda que o Banco Central Europeu (BCE) exerceu pressão para que os países da zona euro encontrassem uma solução para a Grécia no último mês. Tal como já tinha defendido esta manhã Alexis Tsipras, também o ministro grego das Finanças sustentou que nenhum membro do Governo grego está interessado na saída da Grécia da zona euro.

Esta manhã, o primeiro-ministro grego reuniu-se com os deputados dos partidos da coligação - Syriza e Gregos Independentes - para apelar à aprovação do programa no parlamento. No entanto, pelo menos cinco deputados do Syriza deverão votar contra o plano apresentado na quinta-feira à noite aos credores, desafiando o apelo do líder do partido para aprovarem a proposta, refere o jornal grego "Kathimerini".

O ministro grego da Energia, Panagiotis Lafazanis, também se manifestou contra as medidas previstas no novo resgate, mas recusou revelar o seu voto. "As propostas não são compatíveis com o programa do Syriza", afirmou o governante, que pertence à ala mais radical do partido.

Entretanto, Yanis Varoufakis também já saiu em defesa do plano apresentado pelo novo ministro das Finanças grego. "Euclid merece o apoio de todos nós. Ele pode contar com o meu apoio na íntegra", escreveu o ex-governante na sua conta no Twitter.

O programa de resgate deverá ser aprovado no parlamento grego, uma vez que os principais partidos da oposição - To Potami, Nova Demoicracia e PASOK - já revelaram que vão votar a favor.