Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Merkel e Hollande aceitam o “não”: negociações com a Grécia continuam

  • 333

ETIENNE LAURENT / EPA

Merkel e Hollande fizeram uma curta declaração à imprensa no Palácio do Eliseu para comentarem o “não” da Grécia à proposta dos credores. “A Europa não é só uma união monetária. Tem espaço para a solidariedade”, diz Hollande. Ambos deixam a porta aberta a Tsipras, mas querem “responsabilidade”

Quando se tornou evidente a vitória do "não" na Grécia, Angela Merkel e François Hollande, os líderes dos dois maiores países da zona euro, marcaram uma reunião de urgência em Paris para discutirem e eventualmente decidirem o caminho que a Europa, ou melhor, a Europa que se opôs às propostas gregas deve seguir a partir de agora.

Os dois convocaram uma confererência de imprensa para esta segunda-feira sem direito a perguntas, que começou no minuto marcado. Foram breves e Hollande, na qualidade de anfitrião, falou primeiro para garantir que as negociações com Atenas vão prosseguir com "solidariedade e responsabilidade". 

Merkel secundou-o nas declarações: "Esperamos que o Governo grego apresente propostas concretas esta terça na cimeira dos paises da zona euro", disse a chanceler alemã.

ETIENNE LAURENT / EPA

Hollande começou por lembrar que “o tempo é curto” para a Europa e para a Grécia, e Merkel reafirmou a ideia. Não houve nenhuma palavra ou expressão gratuita nesta curta declaração no Palácio do Eliseu.

"A porta das negociações está aberta”, disse Hollande. Ao que Merkel acrescentou: “Respeitamos o voto grego, mas vamos ouvir os outros 18 membros da zona euro. É a democracia e esperamos por propostas responsáveis e concretas da Grécia”.

A reunião entre a líder da Alemanha e o presidente da França começou uma hora antes de terem falado à imprensa. A preparação conjunta da cimeira europeia de terça-feira continua num jantar de trabalho.