Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

“Nasce finalmente um novo dia.” E ainda: “Parem de matar a Grécia”

  • 333

Apoiantes do "não" celebram o resultado do referendo

YANNIS BEHRAKIS / Reuters

“Oxi, oxi, oxi” - é o que se canta em Atenas. O “oxi” que significa “não”, que lidera confortavelmente nos primeiros resultados conhecidos do referendo na Grécia à proposta dos credores

Em Atenas, a expetativa começa a dar lugar à celebração. Os rostos antes carregados emocionam-se à medida que cada vez mais pessoas saem à rua para festejar a vitória do "não".

A Praça Sintagma, que tem sido palco de todas as manifestações contra a austeridade, começa a pintar-se de azul e branco, as cores do país, a que se junta agora o laranja, das bandeiras do "não". Já há música e apitos e muitos gritos de "oxi, oxi, oxi".

Guiorgos Gritzapis, de 50 anos, foi dos primeiros a chegar à Sintagma, poucos minutos após a divulgação das sondagens à boca das urnas. Não perdeu tempo. "Estou muito feliz. Este voto é claro e a nossa mensagem é muito simples: parem de matar a Grécia."

Presa a uma cadeira de rodas, onde atou uma bandeira do pais, Marina, de 46 anos, tenta ver os resultados por regiões que a televisão montada na esplanada vai emitindo - mas cada vez mais pessoas enchem a praça e põem-se à sua frente, tapando-lhe a visão. Ela não se importa - o mais importante já sabe: ganhou o "não". "Estou muito feliz por termos tido a possibilidade de escolher o nosso futuro", emociona-se a emigrante, que vive há 15 anos em Itália mas regressou agora à Grécia apenas para votar.

Numa praça a cerca de 500 metros da Sintagma, onde está montado um ecrã gigante, Christos, engenheiro de 32 anos, desempregado como 60% dos jovens, também assiste emocionado aos resultados que vão sendo transmitidos. "É uma grande vitória. Nasce finalmente um novo dia. Não apenas para a Grécia, mas para toda a Europa."

Joana Pereira Bastos