Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Polícia espanhola desmantela rede criminosa oriunda da ex-União Soviética

  • 333

Cineasta David Cronenberg inspirou-se na atuação desta rede para filmar "Promessas Perigosas". Esta sexta-feira, as autoridades espanholas prenderam o chefe do grupo e 36 assaltantes

Pelo menos 36 pessoas, na maioria georgianas, foram hoje detidas em Espanha, incluindo o líder local do bando criminoso da  "Vory v Zakone", uma máfia oriunda da ex-União Soviética "particularmente perigosa", anunciaram as autoridades espanholas. 

O líder do "Vory v Zakone", que significa, em tradução literal, "ladrões pela lei", é um dos detidos no âmbito de uma vasta operação policial realizada em conjunto com a Europol e a polícia alemã, precisou a polícia. O homem dirigia o seu grupo, que tinha ramificações noutros países da Europa, com "mão de ferro" e funcionava também como juiz em caso de litígio, sublinha a polícia  espahola em comunicado. 

Trata-se de uma organização "particularmente perigosa", que praticava assaltos, disse à imprensa o ministro do Interior espanhol, Jorge Fernandez-Diaz. As jóias e outros objetos de valor que eram roubados durante os assaltos, eram posteriormente revendidos em diferentes estabelecimentos de compra e venda de jóias ou ouro. 

Cada um colocava parte dos lucros numa "caixa" destinada à aquisição de armas e a apoiar as famílias de membros na prisão.
O "Vory v Zakone" nasceu na Rússia no século XX, reunindo elementos de diversas países do ex-bloco soviético (Rússia, Geórgia, Arménia, Moldávia, Chechénia, Ucrânia) que se implantaram na Europa desde o início dos anos 1990 e "até 2009-2010", segundo a polícia. 

O cineasta David Cronenberg inspirou-se nesta organização para fazer o seu filme "Promessas Perigosas", de 2007. O seu modo de funcionamento, quase militar, baseia-se num padrão imutável: o "Vor" (líder da célula) é consagrado numa cerimónia tradicional de admissão. Não entra quem quer: é preciso ter um passado de delinquência e ter feito a sua estreia, nomeadamente na prisão.

Os membros são identificáveis através das tatuagens - rosa-dos-ventos, teia de aranha, punhal --, devem respeitar um severo código de honra e são de poucas palavras quando detidos.