Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Falso alarme na base naval de Washington

  • 333

Polícia norte-americana respondeu com todo o seu aparato ao relato de tiros na base naval de Washington, esta quinta-feira

JONATHAN ERNST / REUTERS

No edifício situado a dois quilómetros do Capitólio, uma mulher pensou ter ouvido disparos e ligou para a polícia. As diversas autoridades norte-americanas reagiram prontamente e com enorme aparato

As autoridades norte-americanas deram um "all clear" ao edifício da base naval de Washington, onde na manhã desta quinta-feira uma mulher suspeitou ter ouvido disparos e deu o alarme. 

Ao local compareceu um enorme aparato policial, que envolveu dezenas de carros de diversas agências e dos bombeiros, enquanto pelo menos um helicóptero sobrevoava a área. A zona foi isolada e o edifício onde os tiros foram alegadamente ouvidos foi passado a pente fino, sem que tivessem sido encontradas evidências de disparos e muito menos atiradores.   

"Não há provas de disparos, de atiradores nem de vítimas", confirma a presidente da Câmara da capital norte-americana, Muriel Bowser. 

De manhã, logo após o alarme ter sido acionado, os funcionários da base naval barricaram-se em salas, de luzes apagadas, à espera das autoridades. Algumas dessas pessoas terão recordado o ataque à mesma base naval ocorrido em 2013, quando um homem armado matou 12 pessoas.  

Apesar de se ter tratado de falso alarme, a chefe da Polícia de Washington, Kathy Lanier, diz que o que aconteceu prova que as autoridades norte-americanas estão prontas para qualquer eventualidade e que estão muito mais bem preparadas do que estavam no ataque de há dois anos. 

"Conseguimos corrigir e tornar melhor tudo aquilo que pretendíamos desde o último acidente", frisou.