Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Reunião do Eurogrupo adiada para as 16h30

  • 333

OLIVIER HOSLET

Ministros das Finanças dos países com moeda única voltam a reunir-se esta tarde por teleconferência, na tentativa de pôr fim ao impasse grego. França e Itália garantem que toda a zona euro está interessada num acordo 

Depois do Eurogrupo ter recusado esta terça-feira a proposta apresentada pelo Executivo de Alexis Tsipras, os ministros das Finanças da zona euro voltam-se a reunir esta tarde em mais uma tentativa para pôr fim ao impasse grego.

A teleconferência estava marcada para as 11h30 em Bruxelas (10h30 em Lisboa), mas o encontro foi adiado para as 17h30 locais  (16h30 em Lisboa), segundo anunciou o porta-voz do Eurogrupo, Michel Reijns.

Na quarta-feira, os ministros das Finanças da zona euro rejeitaram a proposta do primeiro-ministro helénico que solicitou um novo empréstimo por dois anos com base no Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE).

O líder do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, já avisou que um novo plano implicar “condições mais duras“ para os gregos.

Entretanto, o ministro francês das Finanças, Michel Sapin, garantiu esta manhã que o Eurogrupo vai tentar alcançar um acordo com a Grécia até ao referendo do próximo domingo, depois da chancelar alemã ter recusado pronunciar-se sobre a última proposta dos gregos antes da consulta popular.

O governante gaulês alerta que a vitória do "não" poderá colocar em causa a manutenção da Grécia na zona euro, embora isso não seja uma inevitabilidade. "Mesmo que o 'não' vença, o papel da França será fazer tudo para manter a Grécia na zona euro", afirmou.

Michel Sapin deixou ainda um recado: são os "países mais pequenos que estão" a colocar mais obstáculos a um acordo, insistindo na necessidade de mais reformas na Grécia.

O ministro italiano das Finanças, Pier Carlo Padoan, afirmou também que a zona euro está ainda interessado num acordo com a Grécia, embora sejam necessárias mais concessões do lado helénico.