Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Traduzida e integral: a carta em que Tsipras pede mais dois anos

  • 333

ORESTIS PANAGIOTOU / EPA

Primeiro-ministro grego escreveu ao presidente do Eurogrupo e ao presidente do Mecanismo Europeu de Estabilidade a pedir um novo empréstimo de dois anos. Será uma espécie de terceiro resgate, sem o FMI

Atenas, 30 de junho de 2015  
Ao presidente do Conselho de Governadores do MEE [Mecanismo Europeu de Estabilidade] e ao presidente do Eurogrupo, senhor Jeroen Dijsselbloem  
 

Caro presidente do Conselho, caro presidente,  

Em nome da República Helénica ("a República" ou "Grécia"), venho por este meio apresentar um pedido de apoio de estabilidade, de acordo com o estabelecido nos Artigos 12 e 16 do tratado do MME.   
 
Como estão ao corrente, a República enfrenta problemas financeiros urgentes e prementes na segunda metade de 2015 e em todo 2016, tendo em conta que:  
 
· nenhum desembolso do segundo programa ("o Programa") foi feito desde julho de 2014;  

· a República não tem acesso aos mercados financeiros, de acordo com o Artigo 1 das Orientações dos Empréstimos ("Orientações), do Mecanismo Europeu de Estabilidade ("MEE");  

· o Programa expira no dia 30 de junho de 2015, e a nossa candidatura a uma extensão para concluir as negociações pendentes ainda não foi aceite, e,  

· a linha de liquidez de emergência ("ELA") não foi aumentada pelo BCE e, portanto, os controlos de capitais no sistema financeiro grego foram necessários para manter a estabilidade financeira da zona Euro.  
     
Tendo em conta o acima descrito e dado que hoje, 30 de junho de 2015, é a data limite estabelecida pelo Eurogrupo na declaração de 20 de fevereiro de 2015 para chegar a acordo, a Grécia pede apoio de estabilidade financeira na forma de um empréstimo de dois anos ("Empréstimo"), de acordo com as condições estabelecidas no Artigo 13 do Tratado do MEE e no Artigo 2 das Orientações.  
 
O Empréstimo será usado exclusivamente para responder aos pagamentos do serviço da dívida das obrigações externas e internas da dívida grega.   

Juntamente com o Empréstimo, a Grécia pede que a sua dívida do FEEF [Fundo Europeu de Estabilidade Financeira] seja reestruturada e o seu perfil alterado, no espírito das propostas que irão ser feitas pela Comissão Europeia, de forma a garantir que a dívida grega se torna sustentável e viável a longo prazo. Aquando do término do período do empréstimo ou antes, a Grécia pretende readquirir um acesso consistente aos mercados de capitais internacionais para responder às suas necessidades de financiamento futuras.  
 
Até que este Empréstimo seja acordado e aplicado, a Grécia pede que o Programa seja estendido pelo Eurogrupo por um curto período de tempo, de forma a garantir que não é acionado um default técnico.  


A Grécia está completamente comprometida com o serviço da sua dívida externa de uma forma que garanta a viabilidade da economia grega, o seu crescimento e a coesão social.   
 
Com os melhores cumprimentos, 
Alexis Tsipras  
 
 

Com conhecimento:
- Presidente da Comissão Europeia, senhor Jean-Claude Juncker  
- Comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, Tributação e Alfândega, senhor Pierre Moscovici  
- Diretor-geral do MME, senhor Klaus P. Regling

 

Dívida que vence entre 2015 e 2017
(milhões de euros)

* exclui bilhetes do Tesouro e repos cujo refinanciamento é assumido