Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tsipras. Mesmo que o ‘não’ vença a Grécia pode continuar no euro

  • 333

PAUL HANNA / Reuters

Em entrevista à televisão grega, o primeiro-ministro Alexis Tsipras defendeu que uma vitória do “não” no referendo de domingo não obriga a Grécia a deixar a moeda única

“Penso que [a Europa] não quer que a Grécia saia do euro porque teria de pagar um preço muito elevado”. Palavras do primeiro-ministro grego esta noite em entrevista à estação de televisão ERT. Alexis Tsipras rejeitou ainda que uma vitória do “não” no referendo marcado para domingo obrigue a Grécia a deixar a moeda única.

Tsipras garantiu ainda que a Grécia poderá reembolsar os quase 1600 milhões de euros que tinha de pagar ao Fundo Monetário Internacional (FMI) esta terça-feira se fosse alcançado um acordo ainda esta noite.

"Se tivermos um acordo esta noite [segunda-feira], pagaremos amanhã [terça-feira] ao FMI", assegurou o chefe do governo helénico. 

Recorde-se que o processo negocial com os credores levou o primeiro-ministro Tsipras a sentir a necessidade de ouvir a população grega, convocando um referendo. E defendeu o voto no "não", porque reforçaria a posição do governo de Atenas nas futuras negociações com Bruxelas.

Alexis Tsipras garantiu que durante as negociações tudo fez para "alcançar um compromisso" e que chegou a pensar que tinha chegado a um acordo, "mas depois [os credores] pediram mais". 

Durante a entrevista, o chefe do governo helénico sugeriu que, caso o "sim" vença no referendo do próximo domingo, o governo poderia demitir-se: "Se os gregos escolherem a austeridade, vamos respeitar a sua decisão, mas não podemos levar por diante tal mandato", disse.