Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Já há pergunta para o referendo grego... e não é simples

  • 333

Queima do euro em Atenas

Alkis Konstantinidis / Reuters

Após revelado o boletim de voto, a formulação da pergunta da consulta popular parece complexa e há mais dilemas logísticos

“Deverá ser aceite o projeto de acordo que foi apresentado pela Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional no Eurogrupo de 25.06.2015 e que consiste em duas partes, que constituem a sua proposta unificada? O primeiro documento intitula-se ‘Reformas para a Conclusão do Presente Programa e Mais Além’ e o segundo ‘Análise Preliminar à Sustentabilidade da Dívida’.” 

Tal é a pergunta do referendo marcado para domingo, 5 de julho, na Grécia. As respostas possíveis são, por esta ordem, “NÃO ACEITE / NÃO” e “ACEITE / SIM”. Resta saber que porção do eleitorado está a par do conteúdo desses dois documentos, dos quais não foi divulgada, até à data, qualquer tradução em língua grega. 

O Governo grego fará campanha pelo não, no que é apoiado por economistas como Paul Krugman ou Joseph Stiglitz, dois prémios Nobel da Economia. As autoridades europeias defendem o sim e dizem que votar “não” será voltar costas à Europa e à moeda única.

Segundo o diário britânico “The Daily Telegraph”, além da dificuldade que a formulação da pergunta pode gerar, organizar a consulta será um desafio logístico. Constitucionalmente, os boletins de voto têm de estar impressos cinco dias antes do referendo, isto é, esta terça-feira.