Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Espanha comemora 10 anos de casamento gay

  • 333

O palácio de Cibeles exibe as cores da comunidade LGBT

Twitter: Ayuntamiento Madrid

No momento em que os EUA declaram o casamento gay um direito constitucional, a Espanha, um dos primeiros países a aprovar a igualdade de direitos para os homossexuais celebra dez anos da mesma lei

À medida que a poeira assenta nos EUA depois de um frenético fim de semana de casamentos, a Espanha celebra calmamente uma década desde da legalização do casamento entre homossexuais.

A bandeira arco-íris foi hasteada pela primeira vez este domingo, na torre do palácio de Cibeles, no centro de Madrid. Um gesto de simpatia da capital espanhola para os  quase dois milhões de turistas LGBT que este ano viajam para Madrid para assistirem às comemorações do 10º aniversário da lei.

Em 2004, o ex-primeiro-ministro socialista, José Luis Zapatero, apresentou a medida às Cortes. A lei acabaria por ser aprovada a 30 de junho de 2005, e entrou em vigor a 3 de julho desse ano. Uma semana depois, a 11 de julho, Emilio Menéndez e Carlos Baturín, que viviam em união de facto há quase trinta anos, foram os primeiros a casar oficialmente no país vizinho.

Carlos disse depois ao jornal "El Pais" que nunca lhe tinha passado pela cabeça ver chegar o dia em que poderia casar com Emilio de papel passado. O casal tinha-se conhecido que “durante o Franquismo", época em que era impossível terem a esperança de contrair matrimónio "30 anos depois”.

31 mil casamentos LGBT em 10 anos
Desde que a lei foi aprovada em 2005 celebraram-se cerca de 31 mil casamentos homossexuais: 19 mil entre homens e 12 mil entre mulheres. 2006, foi o ano que registou uma maior afluência ao “altar”.

Na altura, havia um certo receio de que a lei pudesse ser revogada a qualquer momento; muitos casais espanhóis viram aquele período como a época do “agora ou nunca”.

A Espanha foi o terceiro país do mundo a aprovar a legalização do casamento homossexual. A Holanda e a Bélgica foram os primeiros, e o Canadá aprovou esta medida 17 dias depois da Espanha, um país tradicional, com uma forte implantação da igreja católica. Apesar disso, e dos apelos ao voto contra da Igreja, 66% dos espanhóis votaram a favor da legalização do casamento gay.

Apesar disso nem tudo são rosas os homossexuais na Espanha. Mesmo protegidos pela lei, são o alvo prioritário dos crimes de ódio. Em 2014, cerca de 40% dos crimes de ódio, foram contra homossexuais, especialmente mulheres.