Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ex-deputado colombiano condenado a 36 anos de prisão por mandar matar jornalista

  • 333

Ilibado num primeiro julgamento, Ferney Tapasco não escapou a pesada condenação por parte do Tribunal Criminal Superior de Manizales, pela autoria moral do crime que vitimou o jornalista Orlando Sierra

Depois de anos de recursos nos tribunais, Ferney Tabasco Francisco Gonzalez foi condenado a 36 anos, três meses e um dia de prisão pelo seu envolvimento no assassínio do jornalista Orlando Sierra, editor do jornal "La Patria". A decisão judicial, anunciada esta quarta-feira, revoga a anterior de 24 de dezembro de 2013  que havia absolvido o acusado. 

O juiz condenou Tapasco Gonzalez por crime de homicídio qualificado, enquanto mandatário e autor moral do crime. Já Fabio López Escobar e Jorge Hernando López Escobar, na qualidade de coautores do crime, foram condenados como co-autores a 28 anos, 10 meses e um dia de prisão. 

Orlando Sierra foi assassinado a tiro em 2002, em Manizales, a cerca de 165 quilómetros de Bogotá, a capital da Colômbia. O jornalista do "La Patria" era um duro crítico dos políticos da região. A última decisão do tribunal sustenta que o deputado tinha um "rancor" contra o jornalista por causa das constantes acusações que este fazia contra a classe política. Uma das testemunhas afirmou que Tapasco pagou para que Sierra fosse assassinado.