Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ataque terrorista em França: um homem decapitado, dois feridos e uma detenção

  • 333

O estado de alerta máximo foi decretado em toda a região

PHILIPPE DESMAZES/ GETTY IMAGES

França em estado de alerta máximo. Presumível autor do atentado reivindicou pertencer ao Estado Islâmico

Um atentado com bombas de gás fez esta sexta-feira de manhã um morto e pelo menos dois feridos na região da Isère, em França, perto de Lyon. O primeiro sinal de alerta foi uma explosão, ouvida cerca das 10h locias (9h em Lisboa), mas no local - uma fábrica - a polícia veio a encontrar o corpo de um homem decapitado e outros sinais de um ataque terrorista.

De acordo com o jornal "Le Dauphiné Libéré", editado naquela região do centro-leste francês, a cabeça da vítima decapitada estava pendurada no gradeamento à volta da empresa, rodeada por restos de tecido com inscrições em árabe. 

O presumível autor foi detido e identificado como Yassin Salhi, de 35 anos. Segundo o que foi adiantado, o homem entrou na fábrica Air Products, em Saint-Quentin-Fallavier, no norte de Isère (o edifício armazena gás e produtos tóxicos) com uma bandeira islâmica e reivindicou pertencer ao autodenominado Estado Islâmico (Daesh), fazendo em seguida explodir vários cilindros com gás..  

Os 40 funcionários da fábrica foram retirados do local, tendo sido decretado o estado de alerta máximo em toda a região, para prevenir eventuais novos atentados. Diferentes meios foram deslocados para o local, com o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, a ordenar um reforço da segurança em todos os locais relevantes na região.

Segundo o ministro do Interior,Bernard Cazeneuvem, o suspeito reside em Saint-Priest, também perto de Lyon, e estaria já referenciado pelos serviços secretos franceses. Diferentes meios foram deslocados para o local, com o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, a ordenar um reforço da segurança em todos os locais relevantes na região. Yassin Salhi
terá sido preso por um bombeiro, que o ministro elogiou pela "coragem" e "frieza". A polícia admite que uma segunda pessoa pode estar envolvida -  o presidente francês também já o disse.

Numa declaração ao país, François Hollande confirmou tratar-se de um "ataque de natureza terrorista" e sublinhou ser necessário "não ceder ao medo". É preciso "estar à altura de todas as circunstâncias", fazendo o trabalho  "que os franceses esperam de nós: protegê-los e erradicar os grupos que nos ameaçam", acrescentou Hollande.

Uma fotografia chegou a circular nas redes sociais identificando com outro nome o suposto autor do atentado, mas o "Le Monde" desmentiu prontamente a veracidade da informação. A imagem mostrava um jiadista albanês morto na Síria em agosto de 2014.