Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

O segredo estava nos hambúrgueres: mais uma revelação sobre o Prison Break real

  • 333

Post-it deixado pelos presidiários num dos tubos da prisão

FOTO Getty

Richard Matt e David Sweat, a cumprir pena por homicídio nos EUA, fugiram de uma prisão de alta segurança no início do mês. Deixaram um bilhete que enfureceu toda a gente e ainda ninguém sabe onde estão. Mas há revelações e detenções novas relacionados com esta fuga por resolver

O segredo estava nos hambúrgueres. Gene Palmer, de 57 anos, foi acusado quarta-feira de ajudar os dois presidiários que fugiram no início do mês de uma prisão de Nova Iorque e que deixaram um post-it para trás que enfureceu a América: "tenha um bom dia", dizia a nota, que tinha um smile gozão desenhado. Palmer, funcionário do estabelecimento prisional em causa, escondia alegadamente ferramentas na carne congelada dos hambúrgueres e é agora a segunda pessoa acusada de cumplicidade na fuga. 

Gene Palmer foi detido, avança a agência Reuters, e acusado pela polícia de Nova Iorque de contrabando na prisão, ocultação e destruição de provas e ainda conduta desapropriada. Foi presente a tribunal esta quinta-feira. O advogado de defesa, Andrew Brockway, citado pelo canal CNN, assegurou que Palmer declarou-se inocente e que está disponível para cooperar com as autoridades. 

A 6 de junho, Richard Matt e David Sweat escaparam de uma prisão de alta segurança em Dannemora, Nova Iorque. A fuga terá acontecido durante a noite e madrugada de sexta-feira, mas os guardas prisionais só se aperceberam no sábado. Os fugitivos estavam a cumprir pena por homicídio. 

Com utensílios e ferramentas elétricas, sabe-se apenas que os dois reclusos conseguiram furar as paredes de tijolo, cimento e ferro das duas celas vizinhas - com mais de 50 cm de espessura -, alcançando um cano até conseguirem escapar pela tampa de esgoto.

Deixaram várias roupas debaixo dos lençóis para dar a ideia de que estavam a dormir. E conseguiram assim com sucesso iludir os guardas que fazem uma ronda de duas em duas horas e que durante a noite não se aperceberam das ausências dos dois presidiários. 

Houve até tempo para troçar das autoridades - deixaram de presente um post-it com uma cara sorridente e a frase "tenham um bom dia". "Percorreram um elaborado labirinto de túneis, como o conseguiram é a questão", disse na altura à CNN o chefe da polícia do Estado de Nova Iorque, Charles Guess. 

Segundo as autoridades, Gene Palmer já privilegiava os dois reclusos. Antes da fuga, o funcionário agora acusado acompanhava Matt e Sweat a um corredor atrás das celas, onde estes podiam cozinhar a sua própria alimentação. Assim Palmer conseguia esconder na carne congelada dos hambúrgueres as ferramentas que mais tarde foram usadas na fuga.

Nos EUA montou-se uma caça aos homens, que depois de três semanas ainda não foram encontrados. Ainda antes deste funcionário, já a costureira do estabelecimento prisional, Joyce Mitchell, tinha sido acusada de ajudar na fuga dos dois prisioneiros.