Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Líder Supremo iraniano impõe linhas vermelhas para um acordo nuclear

  • 333

Khamenei diz que não abdica de certas condições para a conclusão de um acordo nuclear

FOTO EPA

O ayatollah Ali Khamenei reiterou que o Irão exige a suspensão imediata das sanções caso seja alcançado um acordo, descartando qualquer inspeção a instalações militares no país

Depois de mais de uma década de tensões, o líder supremo do Irão, o ayatollah Ali Khamenei, voltou a garantir, na terça-feira, que o programa nuclear do país tem fins pacíficos e não irá ceder relativamente às “linhas vermelhas” que definiu nas negociações com a grandes potências.

Num discurso televisivo, Khamenei reiterou que o Irão impõe como condições a suspensão imediata das sanções caso seja alcançado um acordo, descartando também qualquer inspeção a instalações militares no país: “As sanções devem ser levantadas assim que for assinado um acordo e este não deverá estar dependente da verificação por parte das Nações Unidas“" afirmou o líder supremo, que admitiu ter dúvidas quanto à Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA).

As declarações de Khamenei constituem um retrocesso relativamente à declaração conjunta do Irão e do grupo 5+1 (Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia, China e Alemanha) feita a 2 de abril em Lausana, após uma maratona negocial. Falta menos de uma semana para expirar o prazo para a conclusão de um acordo.  

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohammad Javad Zarif, defendeu na segunda-feira, no Luxemburgo, que todas as partes devem evitar “exigências excessivas“" “Há a possibilidade de fecharmos um acordo até 30 de junho ou mesmo nos próximos dias”, admitiu o governante, citado pela Al Jazeera. Lembra a necessidade de as grandes potências não ignorarem as condições impostas pelo país.

A França e o Reino Unido pedem flexibilidade ao regime de Teerão, para se chegar a acordo quanto à limitação do programa de enriquecimento de urânio iraniano durante uma década. O próximo dia 30 de junho é a data limite para a conclusão de um acordo nuclear, sendo que o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano deverá deslocar-se em breve a Viena com vista a esse fim.