Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Grécia ainda sem acordo. Negociações foram retomadas esta madrugada

  • 333

FOTO JULIEN WARNAND/AFP/Getty Images

Durou cerca de duas horas o encontro entre Alexis Tsipras, Jean Claude Juncker, Mário Draghi, Christine Lagarde e Jeroen Dijsselbloem. O primeiro-ministro grego e os credores já estão sentados à mesa de novo, desde manhãzinha cedo

Nada de novo. O impasse entre a Grécia e os credores mantém-se. Do encontro entre o primeiro-ministro grego e os líderes do FMI, BCE, Comissão Europeia e o presidente do Eurogrupo não saiu nenhum acordo. As negociações começaram depois das 23h00 em Bruxelas (22h00 de Lisboa) e terminaram 15 minutos depois da uma da manhã.

Ao fim de duas horas não foi ainda possível um consenso ao mais alto nível, mas ambas as partes concordaram dar seguimento às discussões. Desta forma, equipas técnicas da troika [BCE, FMI e Comissão Europeia] e dos representantes de Atenas retomam os trabalhos às 6h desta quinta-feira (5h em Lisboa) e Tsipras volta à maratona negocial com Christine Lagarde, Mário Draghi, Jean Claude Juncker e Jeroen Dijsselbloem.  A pressão é grande para que sejam ultrapassadas as divergências.

O Eurogrupo reúne-se novamente às 12h portuguesas, depois de o encontro de quarta-feira ter sido suspenso. A ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque justificou à saída que "as negociações não estavam suficientemente avançadas" para que os ministros pudessem tomar uma decisão final esta quarta-feira. Sem um acordo ao nível técnico, os ministros das Finanças da zona euro não terão o que decidir esta quinta-feira.

Depois da reunião do Eurogrupo, realiza-se na mesma tarde, uma cimeira de líderes europeus que já estava agendada. O tema Grécia não está na agenda oficial mas os chefes de Estado e de Governo esperam por conclusões dos ministros das Finanças. Segundo fonte europeia na passada segunda-feira os 19 líderes da moeda única pediram a Jeroen Dijsselbloem que chegasse a um acordo com o governo helénico.

Na segunda-feira, após a cimeira de emergência da zona euro, Juncker mostrou-se confiante de que seria alcançado um acordo até ao final da semana.

[Notícia atualizada às 8h45]