Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Estado Islâmico mina cidade histórica de Palmira

  • 333

STR/GETTY IMAGES

Fontes citadas pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos afirmam que os combatentes do Estado Islâmico espalharam neste sábado minas e bombas pela cidade histórica. Objetivo será destrui-la ou evitar que as forças do regime a recuperem

Fontes no terreno, citadas pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, afirmam que os combatentes do autodenominado Estado Islâmico (Daesh) minaram a cidade de Palmira, numa operação cujo objetivo não é claro.

Segundo a organização, que tem sede no Reino Unido, não se sabe ao certo se as minas e as bombas colocadas no sábado visam destruir a cidade síria, património da UNESCO, ou são uma forma de manter afastadas as forças do regime, que tentam recuperar o local.

A cidade, com cerca de 50 mil habitantes, é conhecida pelo valor histórico das suas extensas e bem conservadas ruínas greco-romanas. Caiu nas mãos dos combatentes do Daesh em maio e, nessa altura, pelo menos 200 pessoas foram assassinadas.

De acordo com Rami Abdel Rahman, presidente do Observatório, nos últimos dias  as forças sírias intensificaram os ataques aéreas, tendo por alvo as zonas residenciais da cidade e nota-se a chegada de reforços, "o que sugere que possa estar a ser planeada uma operação para recuperar o domínio de Palmira". 

Antes do início da guerra, a cidade recebia uma média anual de 150 mil turistas.