Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Google toma medidas contra pornografia de vingança

  • 333

GEORGES GOBET/AFP

A empresa vai tomar medidas para impedir que os sites em que são publicadas fotografias e vídeos com conteúdos sexualmente explícitos apareçam no índice das pesquisa do motor de busca

Helena Bento

Jornalista

A Google vai tomar medidas contra a "pornografia de vingança" ("revenge porn”), ao impedir que os sites em que são publicadas fotografias e vídeos com conteúdos sexualmente explícitos constem do índice das pesquisas do motor de busca. O anúncio foi feito esta sexta-feira pela vice-presidente Amit Singhal, numa mensagem publicada no blogue da empresa.

Em breve, vão ser disponibilizados formulários online que permitem às pessoas visadas nesses conteúdos formalizar um pedido para que os mesmos sejam retirados da lista de pesquisas.

Amit Singhal escreve ainda que, embora a empresa não tenha qualquer controlo sobre os sites nos quais as imagens foram originalmente publicadas, ao retirá-los do motor de busca poderá minimizar as consequências para os visados, "na sua maioria mulheres". "As imagens são intensamente pessoais e destrutivas em termos emocionais, servindo apenas para degradar as vítimas". 

Já os autores do ato, lê-se na mesma mensagem, são normalmente ex-maridos, parceiros ou "chantagistas", que exigem dinheiro em troca da eliminação das imagens, publicadas sem o consentimentos das pessoas retratadas.

A decisão da Google segue-se a outras semelhantes tomadas pelo Twitter e pelo fórum online Reddit, acusado de permitir a publicação de fotografias de celebridades nuas adquiridas de forma ilegal, como foi o caso da actriz norte-americana Jennifer Lawrence. 

As leis contra a publicação de "pornografia de vingança" foram aprovadas em 21 estados norte-americanos e, até ao final do ano, deverão ser aprovadas pelo Congresso.