Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Homens também são violados. Estocolmo abre o primeiro centro de emergência do sexo masculino

  • 333

Suécia é o primeiro país a abrir uma unidade de urgência para homens e rapazes vítimas de violência sexual. Um assunto tabu que acontece com bastante frequência: só em 2014 foram registados 370 casos

O hospital de Södersjukhuset, em Estocolmo, vai abrir a primeira clínica de emergência para vítimas de violação do sexo masculino. O bloco destinado a homens e rapazes entra em funcionamento já a partir de outubro. 

"A perceção geral é que os homens não podem ser violados", explica Lotti Helstrom, médica sénior do hospital à Radio Sveroiges. Helstrom defende que os homens, quando são violados, podem vir sofrer mais do que as mulheres, tanto em termos físicos como psicológicos, podendo mesmo desenvolver problemas relativos à "identidade sexual". 

Helstrom diz que o assunto é ainda "extremamente tabu", mas acontece com muito mais frequência do que as pessoas pensam. Cerca de 370 casos de assédio sexual em homens e rapazes foram registados na Suécia no ano passado. 

Os homens passarão assim a ter os mesmos direitos de acesso aos serviços de emergência nos casos de violação ou assédio sexual. Os funcionários do hospital defendem que a medida é de grande importância para garantir a igualdade de géneros. 

O mesmo estabelecimento hospitalar da capital sueca já conta com o maior centro de ajuda do país para mulheres que tenham sofrido assédio sexual, recebendo entre 600 e 700 pacientes todos os anos.