Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tsipras: eles querem “humilhar-nos” e alguns têm “responsabilidades criminais”

  • 333

Tsipras permanece de costas voltadas para os credores - e vice-versa

ALKIS KONSTANTINIDIS / Reuters

Num discurso no Parlamento helénico, o primeiro-ministro grego dirigiu palavras duras ao Grupo de Bruxelas, que acusou de ter motivações políticas

Cátia Bruno

Cátia Bruno

Jornalista

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, declarou esta terça-feira, num discurso endereçado aos deputados helénicos, que o comportamento dos credores oficiais tem como objetivo "humilhar" a Grécia e que a insistência numa política de cortes tem motivações políticas. Tsipras chegou a ir ainda mais longe, referindo-se ao Fundo Monetário Internacional (FMI): "O FMI tem responsabilidade criminal pela situação de hoje" na Grécia, disse.

Usando uma retórica mais agressiva, quando alguns esperavam uma mensagem conciliatória, Tsipras reforçou que pretende chegar a acordo com as instituições europeias e o FMI, mas com condições: "O mandato que temos do povo grego é para acabar com a política de austeridade", disse. "Para o conseguirmos, temos de procurar um acordo que distribua o esforço de forma justa e que não prejudique trabalhadores e pensionistas".

Apesar do discurso duro, o primeiro-ministro grego aproveitou o discurso para passar algumas mensagens. "Há demasiada atenção à linguagem de Tsipras", analisava esta terça-feira o jornalista Nick Malkoutzis, no Twitter. "O seu principal objetivo é desafiar a União Europeia por esta adotar medidas do FMI, mas não o seu desafio para reestruturar a dívida", escreveu o jornalista.

O próprio Tsipras o disse, num discurso onde acusou ainda o Banco Central Europeu de "estrangulação" da economia grega: "Porque aceitam as medidas duras, mas não as propostas para reestruturar a dívida?".