Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tiroteio em Dallas. Suspeito de ataque à polícia morto pelas forças de segurança

  • 333

Depois de horas de negociações, foi confirmada a morte do homem que disparou contra os agentes da polícia norte-americana

Tiroteio entre agentes da polícia norte-americana e um homem armado junto à sede do edifício da Polícia de Dallas, que se iniciou na madrugada deste sábado (fim de tarde de sexta-feira em Lisboa), resultou numa perseguição policial e na morte do suspeito. 

Segundo as declarações do chefe da polícia de Dallas, David Brown, o homem estacionou junto ao edifício às 00h30 (18h30 em Lisboa) e depois do tiroteio fugiu numa carrinha. A polícia perseguiu-o até ao parque de estacionamento de um restaurante na cidade de Hutchins, 14 quilómetros a sul de Dallas, onde ocorreu novo tiroteio, seguido de cerca de cinco horas de negociações. 

A polícia de Dallas confirmou a morte do suspeito, que se apresentou como James Boulware. A identidade não foi ainda confirmada, mas o repórter J.D. Miles, da CBS, já entrevistou o pai do alegado agressor. Com lágrimas nos olhos, o senhor pediu desculpa aos agentes pelo comportamento do filho. 

Durante as negociações, o agressor culpou a polícia por ter perdido a custódia do seu filho e recriminou os agentes de terem-no apelidado de "terrorista". O chefe da polícia de Dallas, David Brown, explicou que foram estas as razões que o homem invocou antes de ameaçar "explodir" com os agentes. 

Brown esclareceu que depois da fuga do suspeito, foram encontradas cinco malas junto à sede de Dallas, uma das quais contendo uma bomba que explodiu quando um robô tentou deslocá-la. "Sobrevivemos por pouco à intenção deste suspeito", disse Brown, explicando que foi "extraordinário que nenhum agente ou civil tenha sido morto ou ferido". 

Os agentes da SWAT estiveram a inspecionar a carrinha em Hutchins e a sede da Polícia de Dallas, com a ajuda de robôs. O FBI foi chamado para auxiliar na investigação.

(Notícia atualizada às 19h)