Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Game over, diz o presidente do Conselho Europeu: “Não há mais tempo para a Grécia jogar”

  • 333

ERIC VIDAL/ Reuters

Para este que é um dos líderes europeus, a Grécia está a jogar com o futuro da zona euro. E um comissário foi a Atenas manifestar-se assim: “Gosto muito de uma tragédia grega, mas agora temos de seguir para um final feliz”

Tiquetaque, tiquetaque. O tempo está a chegar ao fim e a Grécia não tem tempo para continuar a "jogar". Quem o diz é Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu.  

"O governo grego tem de ser, na minha opinião, um pouco mais realista. Não há mais tempo para jogar. O dia está a chegar, e receio que alguém diga game over", disse Tusk em conferência de imprensa, citado pela agência Reuters, depois de ter participado numa reunião entre a União Europeia e a América Latina. 

Para o líder europeu, a Grécia está a jogar com o futuro da zona euro. Agora é tempo de tomar decisões cruciais para evitar "consequências desastrosas". 

"É obvio que precisamos de decisões e não de negociações", afirmou Tusk. Ao mesmo tempo que o presidente do Conselho Europeu falava, Alexis Tsipras e Jean Claude-Juncker estavam reunidos. 

Até aqui, Tusk manteve-se neutro sobre as negociações. Esta declaração reforça o que já Pierre Moscovici, comissário europeu dos Assuntos Económicos, tinha dito antes em Atenas, também esta quinta-feira: "Gosto muito de uma tragédia grega, mas agora temos de seguir para um final feliz". 

O comissário europeu está de visita à capital helénica para trabalhar numa lista de reformas. 

Otimismo da meia-noite

Estes alertas contrastam com as mensagens, depoimentos e alguns rumores otimistas que têm vindo a público nos últimos dias. Fora das salas de reuniões, o que tem chegado é que  neste momento o acordo entre a Grécia e os parceiros europeus está próximo. Há quem até arrisque e diga que é possível que isso aconteça antes de 18 de junho, data da próxima reunião de ministros das Finanças da zona euro.

Angela Merkel e François Hollande são duas das figuras de peso que já manifestaram a sua confiança nas negociações com Atenas. Este duo e Tsipras têm conversado repetidas vezes durante a noite. Na prática, ainda não se chegou a  lado nenhum, mas há garantias de que está tudo a encaminhar-se. 

"No fim da conversa houve unanimidade absoluta de que Grécia tem de trabalhar intensamente e a todo o vapor... Nos próximos dias resolveremos os restantes pontos pendentes", disse a chanceler alemã, citada pela agência Reuters.  

Já de François Hollande, as palavras são mais moderadas: "Acredito que os líderes políticos europeus percebem que temos de encontrar uma solução viável para a Grécia,  que possibilite voltar a crescer com coesão social e com uma dívida sustentável".