Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

"Com rapidez e cuidado": como Bruxelas está a analisar as novas propostas gregas

  • 333

EPA

Avaliação da documentação enviada por Atenas deverá influenciar as próximas reuniões de alto nível - como a que se segue entre Tsipras, Merkel e Hollande

As novas propostas gregas já chegaram às mãos das instituições: Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional. Bruxelas confirma a receção mas não comenta a natureza das reformas sugeridas por Atenas, depois de ter sido confrontada, na passada quarta-feira, com uma proposta conjunta da troika para desbloquear o impasse nas negociações.

“Várias propostas estão a circular, incluindo novas sugestões vindas da Grécia, que nos chegaram esta terça-feira de manhã”, disse a porta-voz da Comissão, Margarithis Schinas. 

Segundo a agência Bloomberg, que cita fontes próximas das negociações, as propostas enviadas pelo governo de Alexis Tsipras dizem respeito apenas às “metas orçamentais”. 

Bruxelas terá ainda recebido um pedido para que a Grécia possa usar os Fundos do Mecanismo Europeu de Estabilidade para cumprir os pagamentos previstos para julho e agosto ao Banco Central Europeu, no valor de 6,7 mil milhões de euros.  

“As três instituições estão atualmente a analisar estas sugestões com rapidez e cuidado", adiantou ainda Margarithis Schinas. Uma avaliação que deverá influenciar as próximas reuniões de alto nível. O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, tinha já deixado claro que sem novas propostas não faz sentido voltar a reunir-se com o primeiro-ministro grego. 

Esta quarta-feira, Alexis Tsipras, a chanceler alemã e o Presidente francês deverão voltar a falar, em Bruxelas, à margem da cimeira entre a União Europeia e os países da América Latina. No entanto, não é ainda claro se Juncker também estará presente ou se se reunirá à parte com o governante helénico. 

Faltam três semanas para o fim da extensão do resgate. A 30 de junho, a Grécia terá também de pagar 1,5 mil milhões ao Fundo Monetário Internacional. O tempo está a contar e são cada vez menos os dias para que gregos e instituições fechem um acordo técnico que permita aos ministros das Finanças da zona euro desbloquearem os 7,2 mil milhões de euros que restam do programa de assistência. 

A próxima reunião do Eurogrupo é na próxima semana, a 18 de junho, no Luxemburgo.