Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Dados de 4 milhões de funcionários governamentais americanos hackeados

  • 333

KEVIN LAMARQUE/REUTERS

Os Estados Unidos dizem que o ataque terá sido efetuado a partir da China. O regime de Pequim já reagiu declarando ser uma acusação “irresponsável”

A administração de Barack Obama anunciou aquela que parece ser uma das maiores intrusões nos dados de funcionários federais. O ataque informático, que aparentemente partiu da China, atingiu pelo menos 4 milhões de atuais e antigos funcionários governamentais.

Os hackers procuraram obter os números de segurança social e outros “dados de informação pessoal”, no ataque que foi detetado em abril, mas que já estaria a decorrer desde dezembro do ano passado.

O FBI e o Departamento de Segurança Interna estão a investigar. Embora não tenham grandes dúvidas de que terá partido da China, os investigadores não sabem se se tratou de um ato de espionagem ou se foi motivado por interesses comerciais.

O regime chinês já reagiu, considerando que as acusações sobre a autoria do ataque são “irresponsáveis”.

O gabinete de gestão de pessoal dos funcionários federais norte-americanos está a contactar os potencialmente atingidos, no sentido de evitar que a sua identidade seja utilizada de forma fraudulenta.

Este terá sido o terceiro grande ataque de que o sistema informático federal norte-americano foi alvo no ano passado.

O primeiro atingiu o sistema de emails da Casa Branca e do Departamento de Estado e terá supostamente sido efetuado a partir da Rússia. O segundo teve lugar no verão passado com o objetivo de obter documentos relativos a dezenas de milhares de funcionários que se candidataram a missões secretas, tendo aparentemente partido de hackeres chineses.