Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Em teoria não haverá acordo esta semana, mas a prática tenta desbloquear dinheiro para a Grécia

  • 333

Graffiti em Atenas com um dólar modificado - mas a Grécia precisa urgentemente dos dólares tradicionais

ALKIS KONSTANTINIDIS / Reuters

Tsipras e Juncker reúnem-se ainda esta quarta-feira. Fica tudo à espera que o impasse deixe de o ser, isto depois de o presidente do Eurogrupo ter dito que um "acordo não era teoricamente possível esta semana"

“Não esperamos qualquer decisão final esta quarta-feira à noite”, disse aos jornalistas o porta-voz da Comissão Europeia Margaritis Schinas. O presidente Jean-Claude Juncker continua a fazer o papel de mediador e a tentar encontrar “uma base de entendimento comum” face às propostas gregas, consideradas “insuficientes” pelos credores, tendo em vista uma contraproposta que está a ser trabalhada em conjunto pela Comissão, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional.

À espera do resultado deste encontro estão os países da zona euro. Uma reunião do grupo de trabalho do Eurogrupo – que prepara as reuniões dos ministros das finanças do euro – estava prevista para esta tarde mas foi remarcada para quinta-feira.

A reunião do Grupo de Trabalho deverá fazer um ponto de situação das negociações, mas não está para já prevista qualquer marcação de uma reunião extraordinária do Eurogrupo para desbloquear os 7,2 mil milhões de euros que restam do programa de resgate e de que a Grécia precisa para pagar 1,6 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional.

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, disse esta terça-feira que um “acordo não era teoricamente possível esta semana”. A questão passa agora por perceber se há outra forma de desbloquear dinheiro até sexta-feira, dia em que Atenas tem de pagar 300 milhões de euros ao FMI.

Por responder está também a questão: será que Alexis Tsipras e o governo do Syriza aceitam a contraproposta das três instituições? Ou o processo de desacordo vai continuar arrastar-se deitando por terra a pressão da chanceler alemã, Angela Merkel, para que um acordo político seja fechado até ao final da semana?