Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Chuck Blazer confessa ter recebido subornos para a realização do Mundial2010

  • 333

O garganta funda da FIFA está a colaborar com as autoridades norte-americanas

FOTO PETER KOHALMI/AFP/Getty

O ex-membro do comité executivo da FIFA admitiu que - em conjunto com outros responsáveis do organismo -  aceitou subornos para a África do Sul acolher o Mundial de futebol de há cinco anos.

O garganta funda da FIFA falou e confessou. Chuck Blazer, ex-membro do comité executivo da FIFA, admitiu às autoridades norte-americanas que recebeu subornos para o Mundial de Futebol de 2010 realizar-se na África do Sul.

O norte-americano, que há dois anos assumiu a autoria de 10 crimes - entre os quais associação criminosa, lavagem de dinheiro e evasão fiscal - e que tem assumido agora um papel-chave na investigação das autoridades norte-americanas sobre o organismo, revelou também que recebeu subornos no âmbito do Mundial de 1998, em França.

"A partir de 2004 até 2011, eu e outros membros do comité executivo da FIFA concordámos em aceitar subornos em conjunto para escolhermos a África do Sul como o país-sede para o Mundial de 2010", declarou Chuck Blazer, em 2013, no Tribunal Distrital de Nova Iorque, segundo uma transcrição da audiência citada pela BBC.

"Concordámos também em aceitar subornos com a transmissão e outros direitos para os Mundiais de 1996, 1998, 2000, 2002 e 2003 (incluindo o campeonato regional de equipas nacionais)", acrescentou o ex-membro da FIFA na altura.

Tal como o “New York Times” já tinha avançado Blazer “tornou-se aparentemente numa testemunha cooperante". Chuck Blazer disse também em tribunal ter aceitado usar um microfone escondido num chaveiro para gravar diálogos com outros  responsáveis da FIFA envolvidos no esquema de corrupção.

Na direção da FIFA entre 1996 e 2013, Blazer foi secretário-geral da CONCACAF (Confederação das Associações de Futebol da América do Norte e Central e das Caraíbas) entre 1990 e 2011 e vice-presidente da Federação de Futebol dos EUA. 

Sete dirigentes e ex-dirigentes da FIFA foram detidos há uma semana num hotel em Zurique por suspeitas de corrupção. Sete outros responsáveis também foram indiciados. 

Joseph Blatter também está, entretanto, a ser investigado pela Procuradoria norte-americana e pelo FBI, o que o terá levado a renunciar ao cargo de presidente da FIFA, quatro dias depois de ter sido reeleito.