Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

A Interpol anda atrás deles: eram da FIFA e estão na lista de mais procurados

  • 333

INTERPOL/HANDOUT

Autoridades norte-americanas solicitaram a emissão de um alerta vermelho. Escândalo na FIFA continua a dar que falar

A pedido das autoridade norte-americanas, a Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) colocou na lista das pessoas mais procuradas dois antigos dirigentes e quatro executivos da FIFA. O alerta vermelho que abrange os nomes de Jack Warner, antigo vice-presidente do organismo e Nicolás Leoz, antigo membro do comité executivo da FIFA, foi emitido esta quarta-feira.

O primeiro deu ainda que falar por ter colocado no domingo um vídeo na internet em que recorria a uma notícia fictícia do jornal satírico "The Onion" (que aparentemente tomou por verídica) para justificar o sucedido com uma teoria conspirativa em torno dos investigadores norte-americanos. 

“FIFA anuncia euforicamente o Mundial de futebol de verão 2015 nos Estados Unidos”, referia a manchete da publicação satírica, que Warner exibiu no vídeo. 

“Se a FIFA é assim tão má, por que motivo os Estados Unidos da América querem receber o Mundial de futebol?”, questionou, enquanto segurava o referido artigo.

Warner, líder do Partido Independente e Liberal de Trinidad, desenvolvia a sua argumentação sobre as reais motivações norte-americanas: “Os Estados Unidos candidataram-se e, 2011 para receberem o Mundial de 2022 e perderam a disputa para o Qatar – um pequeno país, um país árabe, um país muçulmano (…). Tudo isto surge de uma disputa perdida pelos EUA para receberem o Mundial de futebol”.

O ex-vice-presidente da FIFA colocou o vídeo  no seu site e nas suas páginas nas redes sociais, mas viria a retirá-lo após terem surgido diversos comentários gozando com o seu erro. Voltaria a republicar o vídeo duas horas mais tarde, mas já sem a parte em que exibia o jornal satírico. Apesar disso, a versão original do vídeo continua contudo disponível no YouTube.

Indiciado no âmbito da investigação de corrupção que envolve altos dirigentes da FIFA, os Estados Unidos já solicitaram a sua extradição para ser julgado.

Na lista estão ainda Alejandro Burzaco, Hugo Jinkis, Mariano Jinkis e o brasileiro José Margulies, também conhecido como José Lazaro. Os seis  estão entre as nove pessoas investigadas pelas autoridades dos EUA por alegada conspiração e corrupção, nomeadamente por terem recebido subornos que ascendem a 151 milhões de euros (cerca de 140 milhões de euros).

Os alertas vermelhos significam que um mandado de prisão foi emitido para determinado indivíduo, mas não implicam a emissão de um mandado internacional de captura - situação dos quatro executivos da lista.

A notícia surge um dia após Joseph Blatter, recém-eleito presidente da FIFA para um quinto mandato consecutivo, ter renunciado ao cargo, na sequência do escândalo de corrupção que abala o organismo máximo do futebol.