Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Escolas das regiões mais afetadas pelos sismos reabrem no Nepal

  • 333

NAVESH CHITRAKAR

O aumento da taxa de abandono escolar é umas das principais preocupações do Governo nepalês. A UNICEF estima que cerca de 985 mil crianças tenham faltado ao primeiro dia de aulas.

Helena Bento

Jornalista

Milhares de escolas reabriram este domingo no Nepal, cerca de um mês após os sismos que abalaram  o país.  

As aulas vão decorrer em salas temporárias construídas a partir de materiais como madeira, bambu e lona. A decisão de adiar a reabertura das antigas escolas foi tomada pelo ministro da Educação, Lavadeo Awashthi, que considerou que estas não oferecem condições de segurança aos alunos. 

O Governo nepalês prevê abrir 15 centros de educação temporários que, segundo afirmou o ministro da Educação ao "The Times of India", vão ser usados nos próximos dois anos, prazo dentro do qual deverá ser procedida à total recuperação dos edifícios escolares.

Niraj Kayanstha, professora numa escola em Changuranayan, a este de Katmandu, capital do Nepal, disse à Radio Nepal que cerca de 400 estudantes compareceram às aulas este domingo. O aumento da taxa de abandono escolar é umas das principais preocupações do Governo nepalês. A UNICEF estima que cerca de 985 mil crianças tenham faltado ao primeiro dia de aulas.

Foram estabelecidos planos de educação especiais para os alunos, que incluem atividades como dança e canto. O diálogo com os professores, de modo a estabelecer uma relação assente na confiança e na abertura, bem como na partilha de experiências relacionadas com a tragédia que ocorreu no país, será também uma das atividades privilegiadas. Segundo a BBC, as Nações Unidas distribuíram "kits" educacionais que incluem puzzles e livros ilustrados.

Segundo Shival Bhusal, especialista da UNICEF na área do desenvolvimento infantil, as estratégias de educação recentemente adotadas estão a dar resultados. "As crianças estão muito contentes por estarem envolvidas em atividades que lhes permitem trabalhar com diferentes materiais", referiu a especialista, citada pela BBC.

Os dois sismos de grande magnitude que abalaram o Nepal em abril e maio deste ano causaram a morte a 8.693 pessoas e feriram outras 22 mil. Estima-se que nos distritos mais afetados, Gorkha, Sindhupalchok e Nuwakot, mais de 90% das escolas tenham ficado destruídas.