Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Vários ativistas detidos em manifestação gay

  • 333

SERGEI ILNITSKY

Fontes locais confirmaram à Reuters que alguns ativistas foram atacados por um grupo anti-gay que também esteve presente no local da manifestação.

Helena Bento

Jornalista

Vários ativistas russos foram este sábado detidos em Moscovo durante uma manifestação não autorizada a favor dos direitos dos homossexuais.

De acordo com a France Press, as forças policiais cercaram os ativistas que se reuniram na Praça Tverskaya, no centro da cidade.

"Aquilo que as autoridades russas e de Moscovo estão a fazer é contra a lei - o que aconteceu aqui é completamente ilegal", disse à Reuters o russo Nikolai Alexeyev, ativista gay, ao mesmo tempo que era arrastado para uma carrinha da polícia, apresentando ferimentos numa das mãos. "Estamos apenas a tentar levar a cabo uma ação pelos direitos humanos". 

Fontes locais confirmaram à Reuters que alguns ativistas que se manifestavam de forma pacífica foram atacados por um grupo anti-gay, como os dois ativistas que terão tentado içar uma bandeira com as cores do arco-íris.

Os manifestantes que tentaram erguer outra bandeira simbólica, com a mensagem "Make love not war" ("Façam amor, não guerra"), foram igualmente atacados pelo grupo. Alguns dos seus membros acabaram por ser detidos pela polícia.

"Estamos contra este fenómeno que nos é imposto, contra a homossexualidade, contra os valores não-tradicionais. Contra a pederastia e a sodomia", disse à Reuters Elena Kakhtaryova, ativista anti-gay, que exibia um cartaz onde se lia: "Não aos valores europeus de defesa dos gays. Apenas a Rússia e apenas a vitória".

Apesar de a manifestação ter sido proibida por um tribunal de Moscovo, como já era previsível, os ativistas homossexuais decidiram ainda assim levá-la adiante. 

Em 2013, o presidente Vladimir Putin aprovou uma série de leis contra a "disseminação de propaganda gay", condenadas pelo Ocidente, que as considerou "intolerantes".