Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cabo tunisino mata sete colegas

  • 333

EPA

Tiroteio ocorreu no quartel de Bouchoucha, não muito longe do Museu Bardo, onde jiadistas armados causaram uma mortandade em março.

O tiroteio ocorreu pelas 09h desta segunda-feira quando decorria a cerimónia do hastear da bandeira no quartel de Bouchoucha, em Tunes. Um cabo tunisino atacou um outro militar com uma navalha, tendo-lhe roubado a arma com a qual alvejou depois mortalmente sete camaradas e feriu outros nove, um deles com gravidade, antes de ter sido eliminado.

“As forças armadas tomaram controlo da situação depois de terem disparado contra o soldado”, afirmou o porta-voz do Ministério da Defesa, Belhassen Oueslati.

O quartel de Bouchoucha fica localizado em Tunes, não muito longe do Museu Bardo, onde jiadistas armados assassinaram 21 turistas estrangeiros e um polícia em março, mas o porta-voz esclareceu que neste caso tratou-se de um “ato isolado, não de um ato terrorista”.

O militares tunisinos indicaram que o cabo estava com problemas familiares e psicológicos e tinha sido proibido o acesso a armas e transferido para um “posto não sensível”.

Apesar dos disparos terem ocorrido apenas dentro do quartel, uma escola situada nas imediações chegou a ser evacuada.

Tunes permanece em alerta máximo desde o massacre de março. A cidade é um importante pólo de atração turística e o atentado causou uma quebra no afluxo de turistas.