Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mais de 70 detidos em protesto após absolvição de agente acusado de homicídio nos EUA

  • 333

FOTO DAVID MAXWELL/EPA

Cerca de 200 pessoas participaram num protesto em Cleveland com um caixão, segurando cartazes com a frase: "Será que vou ser o próximo?". Em causa está a violência policial contra negros nos EUA.

Pelo menos 71 pessoas foram detidas no sábado em protestos à porta do tribunal de Cuyahoga, no estado norte-americano de Ohio, depois de o agente Michael Brelo ter sido absolvido do crime de homicídio de dois cidadãos negros durante uma perseguição policial, em 2012.

Os manifestantes protestaram contra a decisão judicial, pedindo o fim da violência policial e das injustiças raciais. "Foram feitas várias detenções" por desacatos e pelos manifestantes não dispersarem face aos avisos das autoridades, escreveu a polícia de Cleveland na sua conta do Twitter.

Cerca de 200 pessoas participaram noutro protesto com um caixão em Cleveland, segurando cartazes com as frases: "Será que vou ser o próximo?", "Sem justiça não há paz", ou "As vidas dos negros interessam."

O juiz do tribunal de Cuyahoga, John O'Donnell, declarou no sábado que o agente Michael Brelo, de 31 anos, não é culpado pelo crime de homicídio voluntário de Timothy Russell e Malissa William, a 29 de novembro de 2012.

Michael Brelo participou na perseguição policial a Timothy Russell e Malissa Williams, dois cidadãos afro-americanos, de 43 e 30 anos, ambos com antecedentes criminais, em Cleveland.

Durante a perseguição policial, o carro em que seguiam os dois criminosos foi atingido a tiro 167 vezes, 49 delas pelo agente Michael Brelo. Quinze tiros disparados por Michael Brelo foram realizados depois de os outros agentes terem parado de alvejar a viatura.

A defesa invocou, contudo, que o agente temia pela sua vida e a dos seus 13 colegas envolvidos na perseguição, o que motivou o uso da força, argumento que convenceu o juiz. 

[Atualizado às 18h48]