Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Nova Zelândia. Corpo de alpinista encontrado ao fim de 42 anos

  • 333

David Moer desapareceu em 1973, na sequência de uma avalanche. Tinha 19 anos. O corpo foi formalmente identificado esta quinta-feira, depois de ter sido submetido a testes de ADN. 

David Erik Moen tinha apenas 19 anos quando, ao escalar um glaciar, foi surpreendido por uma avalanche. Estávamos em setembro de 1973 no Monte Tasman, situado na Nova Zelândia. Hoje, 42 anos depois do seu desaparecimento, o corpo foi formalmente identificado.

De acordo com os media locais, os restos mortais encontrados datam de janeiro deste ano mas, só depois da realização de testes de ADN foi possível confirmar a quem pertenciam. Uma confirmação que chegou quatro meses depois, onde, através de um anúncio feito à comunicação social, as autoridades neozelandesas confirmaram que os ossos “bem preservados” pertenciam a David.

Dada a ausência dos pais, que acabaram por falecer sem saber o que aconteceu ao filho, alguns familiares próximos do alpinista fizeram chegar às entidades envolvidas um comunicado, onde agradecem todo o trabalho desenvolvido ao longo dos anos. "Não temos palavras para o que sentimos pelo facto do David ter regressado depois deste tempo todo”, pode ler-se.

Até ao momento foram encontrados mais de 230 corpos no Parque Nacional do Monte Cook. David faz parte desse número, contudo, estima-se que ainda existam 60 corpos desaparecidos.