Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cameron elabora: o Reino tem imigrantes a mais

  • 333

Reuters

Governo britânico pretende reduzir a procura por "trabalho imigrante e aplicar sanções relativamente à exploração de trabalhadores pouco qualificados".

Há novas regras em perspetiva para a imigração no Reino Unido, nomeadamente um controlo mais apertado, tanto para cidadãos de países da União Europeia (UE) como para os de outros pontos do planeta. Há até quem já fale na alteração das regras de livre circulação dentro da UE. 

Esta quinta-feira, David Cameron, primeiro-ministro britânico, discursou na sede do departamento da Administração Interna e garantiu que o controlo da imigração é um trabalho da responsabilidade de todo o Governo. O canal britânico BBC avança que o projeto de lei apresentado vai focar-se em três pontos essenciais. 

Aquele que provavelmente poderá gerar mais polémica é a renegociação das relações entre Reino Unido com União Europeia. Nas conversações com Bruxelas, Cameron deverá levar para a mesa de trabalho a preocupação com o aumento do número de imigrantes que chegam dos vários países da União Europeia.

Há alguma curiosidade em saber como a abordagem e aplicação desta medida deverá acontecer. Se será apenas uma mudança nos benefícios dos imigrantes da UE ou se Cameron quer ir mais longe e fazer alterações profundas que coloquem em causa a livre circulação de pessoas no interior da União.

Cameron referiu ainda que vão ser adotadas sanções mais duras aos imigrantes ilegais a trabalhar no Reino Unido. Propôs ainda reformular as regras da imigração e do mercado de trabalho para “reduzir a procura por trabalho imigrante e aplicar sanções relativamente à exploração de trabalhadores pouco qualificados”.

Picardias entre Conservadores e Trabalhistas
Até agora, Cameron anunciou que já foram anuladas 9 mil cartas de condução de imigrantes ilegais, foi apertada a fiscalização de casamentos fictícios e foi ainda introduzido o controlo de saída de imigrantes, para que o governo saiba quanto e quantas pessoas regressam ao país de origem.

No discurso, o primeiro-ministro inglês disse que na altura do último Governo Trabalhista, cerca de 90% dos empregos criados eram ocupados por estrangeiros. Agora, no seu mandato, o número está muito diferente, referiu. Segundo Cameron, a maioria dos lugares é ocupada por britânicos. Mas a BBC garante que os números de Cameron não batem certo com os do Gabinete Nacional de Estatísticas.

As novas medidas podem ser agora mais eficazes uma vez que “os Conservadores estão a governar por sua conta e podem ser mais fortes”, afirma David Cameron, citado pela BBC, referindo-se à eleição de um Governo de maioria.

“A ambição” de Cameron e da sua equipa é diminuir o número de imigrantes para 100 mil. Este é um número difícil de atingir, uma vez que os dados mais recentes, revelados esta quinta-feira, indicam que o Reino Unido foi a escolha de 318 mil imigrantes no último ano.