Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Iraque. Milícia xiita pronta para avançar em Ramadi

  • 333

Pelo menos 25 mil pessoas deixaram a cidade de Ramadi nos últimos dias

FOTO REUTERS

EUA estão divididos quanto ao envolvimento dos xiitas na operação contra o Estado Islâmico em Ramadi. Há receio de que a violência sectária possa aumentar. 

Cerca de três mil combatentes da milícia xiita chegaram na segunda-feira ao campo militar de al-Habbaniyah, situado cerca de 20 km a leste de Ramadi, aguardando ordem para avançar com uma ofensiva contra o autoproclamado Estado Islâmico (Daesh), que assumiu no domingo o controlo da cidade iraquiana.

“A operação militar para reconquistar Ramadi e Anbar não começará antes de serem reunidos todos os meios necessários“, afirmou  à AFP o chefe da polícia de Anbar, Kadhim al-Fahdawi.

Segundo o responsável, a operação em Ramadi deverá constituir o “ponto de partida” para expulsar os jiadistas do território iraquiano, contando as forças governamentais com o apoio da coligação internacional liderada pelos EUA.

Testemunhas locais relatam um cenário caótico, com as ruas da cidade praticamente desertas enquanto vários habitantes só se deslocam às suas casas em busca de alimentos. Paralelamente, os combatentes do Daesh estão a invadir as habitações de elementos da polícia e forças pró-governamentais, refere a BBC.

As Nações Unidas (ONU) alertam que a crise humanitária deverá agravar-se na região, a avaliar pelo facto de pelo menos 25 mil pessoas terem saído da cidade nos últimos dias.  

A controlo de Ramadi por parte do Daesh constitui o maior triunfo do grupo radical islâmico desde que começou a ofensiva contra os jiadistas, em junho de 2014, e uma ameaça para o governo iraquiano e para a estratégia dos EUA na região.

Com o primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, a ordenar a entrada de milícias xiitas no terreno depois de as forças de segurança terem abandonado a cidade de Ramadi - maioritariamente sunita-, aumentam os receios da escalada da violência sectária.

Um "barril de pólvora"
"Ramadi é neste momento um barril de pólvora. A milícia xiita terá de atuar com cautela, muito cautela", disse à Reuters um alto responsável norte-americano.  

Os EUA estão contudo divididos quanto ao envolvimento dos xiitas, com ligações ao Irão,  na operação contra o Estado Islâmico em Ramadi.

"Existem pessoas no nosso governo que consideram o envolvimento do Irão uma anátema. Outros pensam mesmo que a participação dos xiitas aumentará a violência sectária, enquanto outros dizem que isso não corresponde à verdade", acrescentou outro responsável.

O Pentágono já garantiu que a situação de Ramadi será revertida em breve, com a ofensiva das forças governamentais do Iraque apoiadas pela coligação internacional para  expulsar os jiadistas da cidade.