Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

"Isto é só o início." Europa aprova operação naval para combater tráfico de pessoas

  • 333

Jason Florio/Reuters

Em causa estão as redes de tráfico de migrantes na Líbia. Intervenção prevê três fases.

Um plano para uma operação naval que visa combater as redes de tráfico de migrantes no Mediterrâneo, que abrange uma atuação na Líbia, foi aprovado esta segunda-feira em Bruxelas pelos ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE).
A aprovação do plano ainda não foi anunciada oficialmente, mas foi confirmada por dois diplomatas que falaram à agência Associated Press sob anonimato.

Após a reunião onde o plano foi aprovado, a responsável da política externa da UE, Federica Mogherini, referiu esperar que a operação possa ser lançada no próximo mês, de modo a que ser implementada na altura do ano em que habitualmente ocorre um aumento do afluxo de migrantes no Mediterrâneo.

“Isto é apenas o início”, afirmou Mogherini, indicando que operação prevê três fases: a recolha de informação sobre os traficantes, a inpecção e deteção das suas embarcações, a destruição dessas embarcações. “Mais do que a destruição dos barcos será a destruição do modelo de negócio, das próprias redes (de tráfico), referiu.

Entretanto, ainda se aguarda que o Conselho de Segurança da ONU aprove a resolução que dê a base legal para esta intervenção militar que UE tenciona levar a cabo fora das suas águas territoriais.

A NATO já indicou estar disponível para colaborar caso lhe seja solicitado auxílio, o que ainda não terá ocorrido.

Cerca de 51 mil migrantes entraram na Europa este ano pelo Mediterrâneo, 30,5 mil dos quais através de Itália. Cerca de 1800 morreram afogados, segundo indica a agência da ONU para os refugiados.