Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA confiantes de que situação de Ramadi será revertida em breve

  • 333

REUTERS

O secretário de Estado John Kerry diz acreditar que os combatentes do Daesh vão perder nos próximos dias o domínio de Ramadi. Jiadistas declararam ter assumido o controlo total da cidade iraquiana este fim de semana.

Apesar dos avanços dos combatentes do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) no Iraque, que declararam ter assumido o controlo total da cidade estratégica de Ramadi, situada a cerca de 112 km a oeste de Bagdade, os EUA mostram-se confiantes de que a a situação será revertida em breve. 

As comunicações foram reduzidas, os mecanismos de financiamento e a maioria dos seus movimentos também, onde existem patrulhas aéreas e outros meios. Estou absolutamente convencido de que nos dias que se avizinham a situação será revertida, afirmou o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, em Seul. 

Segundo um porta-voz do Pentágono, os jiadistas conseguiram vantagem militar na cidade iraquiana, devido a uma série de fatores que facilitaram o seu avanço. A mesma fonte garante, porém, que a coligação internacional liderada pelos EUA os vai fazer recuar.

No domingo, o Daesh declarou ter assumido o controlo total de Ramadi, na província de Al-Anbar, naquele que constitui o maior triunfo do grupo radical islâmico desde que começou a ofensiva contra os jiadistas, em junho de 2014. Deus permitiu aos soldados do califado limpar toda a cidade de Ramadi. Eles controlam-na. Ramadi caiu, anunciou o Daesh, que começou na sexta-feira o assalto à cidade com ataques à bomba em carros, obrigando milhares de pessoas a fugir da cidade.

500 mortos em dois dias
Pelo menos 500 pessoas, entre civis e forças de segurança, morreram na sequência dos combates iniciados na sexta-feira, segundo mais recente balanço das autoridades. O primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, autorizou a entrada de milícias xiitas no terreno, naquela zona maioritariamente sunita, depois de as forças de segurança terem abandonado a cidade. As forças governamentais contarão com o apoio de aviões da coligação internacional, de forma a travar o avanço dos jiadistas.  

Vamos eliminar este inimigo bárbaro. Com a vontade de Deus, conseguiremos alcançar o triunfo e não aceitaremos nada menos do que isso, afirmou Haider al-Abadi, citado pela agência Reuters. Entretanto, o ministro iraniano da Defesa, Hossein Dehghan, chegou a Bagdade para uma visita oficial, que já estava agendada antes dos desenvolvimentos deste domingo no Iraque, refere a BBC. 

O controlo de Ramadi vem aumentar a pressão sobre o Executivo iraquiano, que tinha prometido resgatar a província de Anbar, à semelhança do que aconteceu com Tikrit, em abril, quando o exército iraquiano contou com o apoio das milícias xiitas para expulsar os jiadistas da cidade.