Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Detroit perdeu 70% de habitantes. É a cidade perfeita para acolher 50 mil sírios

  • 333

As ruas de Detroit estão cheias de casas. Mas vazias de gente

© Rebecca Cook / Reuters

Os refugiados sírios podem dar uma nova vida à deserta e decadente capital do automóvel dos EUA

A outrora próspera capital do automóvel dos EUA perdeu 70% da população nas últimas décadas. Em 1950, quando a população ainda estava em fase de crescimento, o censo registou 1,8 milhões de habitantes; a contagem de 2010 já só menciona 713 mil. Muitos desses habitantes seriam, provavelmente, os jovens de 1950. Ficaram as casas, as ruas desertas a pedir gente, e propostas inovadoras como a de  David Laitin Marc Jahr, que defendem a vinda de 50 mil refugiados sírios para a cidade.

Num artigo publicado no New Iorque Times, o professor de Ciência Política na Universidade de Stanford, David Laitin, e o antigo responsável da habitação em Nova Iorque, Marc Jahr, defendem que os EUA devem abrir a porta ao acolhimento de 50 mil refugiados sírios e assim acabar com o decadente estado de Detroit. 

"Os refugiados sírios são uma comunidade ideal para revitalizar a cidade, uma vez que os árabo-americanos têm uma presença vibrante e bem sucedida na área metropolitana de Detroit", escrevem Laitin e Jahr, lembrando que o fervilhante pólo industrial das décadas de 1950 e 1960 se transformou num imenso "vazio urbano".

Neste momento, há 15 milhões de sírios que precisam de ajuda humanitária urgente. Quatro milhões são refugiados na Turquia, Líbano, Jordânia, Iraque e Egito. A Turquia preparou-se para acolher 100 mil refugiados, mas recebeu quase dois milhões até agora. O país tem 22 campos onde cerca de 220 mil pessoas tiveram de suportar um inverno rigoroso. 

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, liderado por António Guterres [ACNUR), diz que a guerra civil na Síria é responsável pela "maior emergência humanitária da nossa era".

A solução proposta por Laitin e Jahr no artigo do NYT pode mudar a vida da cidade e de 50 mil refugiados sírios. Os autores retomaram uma ideia apresentada em 2014 pelo governador republicano do Michigan, Rick Snyder, que propunha o acolhimento de 50 mil sírios em Detroit. "Reinstalar sírios vai exigir empenho e cooperação a diferentes sectores e níveis do governo, mas é eminentemente praticável", escrevem Laitin e Jahr, apelando à administração federal para aumentar a quota e a verba para acolhimento de refugiados.