Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Primeiro-ministro do Luxemburgo casa-se esta sexta-feira. "Ele pediu-me e eu disse que sim"

  • 333

Ao fim de cinco anos a viver em união de facto, Xavier Bettel, primeiro-ministro do Luxemburgo, e Gauthier Destenay, arquiteto, vão finalmente casar-se.

© Pascal Rossignol / Reuters

Depois de ter sido eleito sucessor de Jean-Claude Juncker, Xavier Bettel disse que quando o casamento gay fosse legalizado no Luxemburgo casaria com o seu namorado. A promessa é cumprida esta sexta-feira.

Helena Bento

Jornalista

Se dúvidas ainda havia quanto à homossexualidade de Xavier Bettel, foram esclarecidas no momento em que o então presidente da Câmara da Cidade do Luxemburgo pediu ao DJ que estava a passar música no programa de rádio em que acabara de participar para passar o tema "The Power of Love", da banda gay Frankie Goes to Hollywood.  

Em 2010, Bettel, então com 37 anos, celebrava uma união de facto com o seu parceiro, o arquiteto Gauthier Destenay. E três anos mais tarde era eleito primeiro-ministro do Luxemburgo, ao derrotar os cristãos-sociais que governaram o país de forma quase ininterrupta desde o fim da II Guerra Mundial, quebrando os 19 anos de governo de Jean-Claude Juncker, atual presidente da Comissão Europeia.  

Na altura, o primeiro-ministro disse não acreditar que o facto de ser gay tivesse influenciado os resultados das eleições. "Eu tenho apenas uma vida e não quero escondê-la", declarou numa entrevista concedida ao jornal "Los Angeles Times". "Apesar disso, eu não era o candidato gay. As pessoas não votaram em mim por eu ser gay ou heterossexual". 

Quando tomou posse em 2013, o jovem dirigente político garantiu que era sua intenção era modernizar a sociedade luxemburguesa através da alteração de várias leis. Propôs então uma série de medidas políticas como a limitação a dez anos dos mandatos dos políticos, a concessão de direito de voto nas legislativas a todos os estrangeiros residente no país há pelo menos dez anos e a alteração do direito de voto para os 16 anos.  

Em junho do ano passado, o Parlamento luxemburguês aprovou com esmagadora maioria (56 votos a favor e apenas quatro conta) a proposta de lei para legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Xavier Bettel já tinha dito anteriormente que quando tal acontecesse casaria com seu parceiro. Esta sexta-feira, o primeiro-ministro cumpre a promessa. 

Sobre o casamento propriamente dito pouco se sabe. Sabe-se que foram convidados "vários políticos" europeus, segundo informações adiantadas pela imprensa luxemburguesa e que é provável a presença de David Cameron, primeiro-ministro britânico, em face da excelente relação que ambos mantêm, fomentada em grande parte nas várias reuniões de trabalho no âmbito da União Europeia.  

Todos os pedidos de cobertura do casamento por parte dos jornalistas foram recusados, porque Bettel, dizem os seus assessores, deseja manter privada a sua vida pessoal.  Sobre a relação entre o primeiro-ministro e Gauthier Destenay também pouco se sabe, a não ser que foi o arquiteto quem fez o pedido formal de casamento, como revelou também ao jornal "Los Angeles Times" no ano passado ("Ele pediu-me e eu disse que sim").

 Apesar disso, o assunto não tem passado despercebido na imprensa nacional e internacional. O Luxemburgo, o mais pequeno país da Europa, com apenas 550 mil habitantes, está prestes a tornar-se o primeiro a ser governado por um político homossexual casado (outros, antes dele, já o tinham feito, como o seu vice-primeiro-ministro Étienne Schneider, o ex-primeiro-ministro belga Elio di Rupo, e Jóhanna Sigurðardóttir, chefe de governo da Islândia entre 2009 e 2013, mas sem nunca terem registado oficialmente as suas relações).