Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ministro egípcio demite-se por ter dito que filhos de homens do lixo não podem ser juízes

  • 333

As palavras de Mahhfouz Saber geraram uma enorme polémica

SALVATORE DI NOLFI

O governante limitou-se a exprimir velhos preconceitos, mas foi direto demais.

Luís M. Faria

O ministro da justiça egípcio foi obrigado a demitir-se por ter afirmado que os filhos de trabalhadores do lixo não devem poder ser juízes. Mahhfouz Saber explicou que, dado o estatuto elevado dos magistrados, eles têm de vir de um meio social respeitável. Se uma pessoa com a origem errada fosse nomeada para um tribunal, depressa ficaria deprimida e não seria capaz de continuar.

As palavras de Saber geraram uma enorme polémica nos social media. Ele ainda tentou justificar que tinha sido um lapso, mas já não foi a tempo. O primeiro-ministro Ibrahim Mahlab disse que, "por respeito à opinião pública", o ministro tinha apresentado a demissão - ou seja, fora obrigado a fazê-lo.

A recolha de lixo na capital é largamente associada aos coptas (cristãos) que ultimamente têm estado sob ataque no país. Mohamed ElBaradei, ex vice-presidente egípcio, lembrou que por lei toda a gente tem direito aos serviços e profissões públicas em termos de igualdade. E concluiu: "Quando o conceito de justiça está ausente de um país, nada resta".