Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Como afastar submarinos russos? Com o marinheiro cantor

  • 333

Perante as notícias de que haverá submarinos russos a entrar indevidamente em território sueco, um grupo de ativistas juntou num sinal luminoso tudo o que consideram que a Rússia não aprecia. "Bem-vindos à Suécia. Gay desde 1944."

Tangas, abanar de ancas, muito cor-de-rosa néon e homossexuais. Um grupo de ativistas pacíficos da Suécia decidiu juntar tudo isto num sinal luminoso e colocá-lo debaixo de água. O objetivo? Afastar os submarinos russos das águas territoriais suecas.

O “Marinheiro Cantor” está instalado no Mar Báltico e mostra uma animação em tons florescentes de um homem a dançar só com roupa interior, correspondendo aos típicos preconceitos. 

“Bem-vindos à Suécia. Gay desde 1944”, pode ler-se no sinal. Escrito em inglês e em russo, para não correr o risco de a mensagem não chegar ao destinatário, devido à barreira linguística. A data que surge na frase é uma referência ao ano em que a homossexualidade foi legalizada na Suécia.

Quando um submarino se aproxima do local onde está esta sinalização, recebe através de código de morse uma segunda mensagem: “Se és gay, vem por aqui”.

A Sociedade de Paz e Arbitragem Sueca (SPAS) diz que pretende combater a agressão militar e a homofobia numa só ação. Esta organização não-governamental diz que o conflito armado nunca é a melhor solução. “Se as armas tivessem funcionado como forma de resolver conflitos, já há muito tempo que havia paz no mundo”, defende a SPAS.

Nos últimos tempos têm surgido notícias de suspeitas de invasão de submarinos russos nas águas suecas. Na altura, os militares da Suécia não conseguiram confirmar a nacionalidade do intruso.

Já a parte do estereótipo homossexual é uma forma de a SPAS contestar a lei que a Rússia aprovou em 2013 sobre a propaganda gay.