Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Grécia pagou, FMI não explica como

  • 333

KOSTAS TSIRONIS / Reuters

De acordo com a imprensa local, Atenas terá esvaziado os cofres para liquidar a dívida.

Custou, mas foi. A Grécia já efetuou o principal pagamento da última prestação da dívida. O Fundo Monetário Internacional confirmou esta terça-feira que os 750 milhões de euros foram recebidos, sem tecer comentários à forma como Atenas conseguiu arranjar o dinheiro.

“Em relação a detalhes sobre a confirmação do pagamento não serão publicadas informações sobre as transações entre os membros e o Fundo”, disse um porta-voz do FMI.

Tudo indica que os gregos recorrerem a um fundo de emergência para conseguirem pagar a tempo e horas a última prestação da dívida. Segundo o jornal “Kathimerini”, a Grécia terá esvaziado os cofres para liquidar a dívida, evitando assim entrar em incumprimento.  

Todos os países membros do FMI são obrigados a manter uma conta que só pode ser utilizada em caso de emergência e com a devida aprovação dos credores, explica um funcionário do Banco da Grécia citado pelo “Kathimerini”.

A mesma fonte dessa entidade grega, que faz a gestão do fundo de emergência, confirma que todo o dinheiro foi movimentado da conta após uma reunião, na semana passada, entre membros do Governo e o chefe do banco central. O encontro tinha como intuito encontrar formas de reembolsar o valor em dívida. 

Depois do dinheiro gasto é preciso pensar como o repor, para que o fundo de emergência volte a estar operacional. Mas esse cenário só deverá acontecer dentro de “várias semanas”. Esta é uma conta que já existe há mais de 30 anos, mas que apenas pode ser utilizada em casos de SOS.

“O lado negativo é que a conta agora ficou vazia, mas foi necessário pesar as opções existentes para evitar o incumprimento ”, detalha a mesma fonte, citada pelo “Kathemerini”.