Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Líbia muito preocupada com operação militar da UE

  • 333

O plano da União Europeia que pretende recorrer ao uso da força para fazer frente aos traficantes de migrantes em África conta com a oposição da Líbia e da Amnistia Internacional.

Pouco claro e “muito preocupante”, assim classificou o embaixador da Líbia nas Nações Unidas (ONU), Ibrahim Dabbashi, em declarações à BBC, o plano da União Europeia (UE) para levar a cabo uma operação militar para neutralizar de embarcações de traficantes de migrantes em águas territoriais da Líbia. 

A operação da UE de combate ao tráfico de migrantes na Líbia é apresentada esta segunda-feira pela alta-representante da Política Externa Europeia, Federica Mogherini, perante o Conselho de Segurança da ONU, com a perspetiva de que venha a ser aprovada até à próxima semana.

“O Governo líbio não foi consultado pela União Europeia. Eles deixaram-nos no escuro sobre quais são as suas intenções, que tipo de ações militares vão levar a cabo na nossas águas territoriais”, afirmou o embaixador líbio. “Nós queremos saber… como vão distinguir os barcos dos pescadores dos barcos dos traficantes”, acrescentou.

A Amnistia Internacional também já se manifestou contra o plano europeu, considerando que este tipo de operação militar poderá deixar os migrantes encurralados na Líbia em condições desesperadas.

“Introduzir medidas para enfrentar os traficantes sem fornecer rotas seguras alternativas… não irá resolver o flagelo dos migrantes e refugiados”, declarou o responsável da Amnistia para o Médio Oriente e África, Philip Luther.