Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Parecia uma mala de viagem como qualquer outra, mas tinha uma criança dentro

  • 333

Fotografia cedida pela Guarda Civil Espanhola que mostra o scanner da mala de viagem onde estava o rapaz de oito anos, detetado à entrada de Ceuta

EPA

Chama-se Abou, é originário da Costa do Marfim e tem apenas oito anos. Esta quinta-feira, foi encontrado dentro de uma mala de viagem de uma jovem marroquina que tentava atravessar a fronteira entre Marrocos e Ceuta. 

Parecia uma mala de viagem como qualquer outra. Uma daquelas com rodinhas, tipo trolleyMas a sua dona, uma jovem marroquina de 19 anos, mostrava-se impaciente e nervosa quando chegou à alfândega de Tarajal, na fronteira entre Marrocos e Ceuta, esta quinta-feiraPerante esta atitude, os agentes começaram a desconfiar, imaginando que transportava algum tipo de droga ou outra mercadoria ilegal. Passaram a mala pelo scanner e o que viram foi surpreendente: no seu interior, entre algumas peças de roupa, estava um rapaz em posição fetal.  

"Trabalho há muitíssimos anos e nunca tinha visto uma entrada tão grotesca e dramática de um menor", explica o porta-voz da Guarda Civil, Alfonso Cruzado, ao jornal espanhol "El Mundo". "A última coisa que os agentes poderiam imaginar é que estaria uma criança dentro da mala de viagem." 

Mas estava. Era um rapazito de oito anos, originário da Costa do Marfim. Assustado e desconcertado, a primeira coisa que disse, em francês, foi: "Chamo-me Abou".  

Imediatamente, os agentes notificaram a Cruz Vermelha para que viesse examinar o seu estado de saúde, uma vez que se encontrava dentro de uma mala pequena e sem orifícios. Ainda assim, Abou não apresentava nenhum sintoma de risco. De seguida, o rapaz foi entregue à comissão de proteção de menores em Ceuta, que irá decidir o seu destino, e a jovem marroquina, Fátima, ficou detida.  

Mas esta história não acaba aqui. Cerca de 1h30 depois, aparece na fronteira uma homem de origem subsariana, de 42 anos, que tinha uma autorização de residência em Las Palmas, nas Canárias. O homem também vinha da Costa do Marfim - uma coincidência que não passou despercebida aos agentes.  

Foi interrogado e acabaria por confessar ser o pai de Abou, explicando à polícia que "só queria levá-lo" consigo "para as Canárias". Acabaria, assim, por ser detido por alegado tráfico ilegal de pessoas e terá que se apresentar a um juiz. Suspeita-se que o indivíduo tenha pago à jovem de 19 anos para transportar o seu filho.  

Este pode ser outro caso dramático de imigrantes ilegais que tentam, a todo o custo, chegar à Europa, realça a Guarda Civil à imprensa internacional. "Os imigrantes utilizam todo o tipo de estratagemas e esconderijos impossíveis para passar a fronteira e alcançar o 'El dorado' europeu", afirma Alfonso Cruzado. "Qualquer local que te passe pela cabeça já lhes terá ocorrido."