Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Embaixadores da Noruega e das Filipinas morrem em queda de helicóptero

  • 333

FAISAL KAREEM/EPA

O acidente ocorreu durante uma aterragem de emergência numa zona montanhosa do Paquistão.

Os embaixadores da Noruega e das Filipinas encontram-se entre as seis vítimas mortais da queda de um helicóptero militar ocorrida esta sexta-feira numa região montanhosa de Gilgit-Baltistan, situada a cerca de 300 quilómetros a norte da capital do Paquistão.

A informação foi confirmada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros paquistanês. O ministro da Defesa, Khwaja Asif, indicou que os dados iniciais apontam para que tenha se tratado de um acidente, ocorrido durante uma aterragem de emergência na zona do Vale Naltar. E o porta-voz militar, major-general Asim Bajwa, aditantou que um “problema técnico” terá originado a queda do helicóptero MI-17.

Entre as vítimas encontram-se ainda as mulheres dos embaixadores da Indonésia e da Malásia e dois pilotos. Os embaixadores da Holanda e da Polónia ficaram feridos.

O aparelho levava a bordo 17 pessoas, entre as quais 11 estrangeiros, que iam assistir à inauguração de um projeto turístico, no âmbito de uma visita de quatro dias que se encontravam a realizar à região.

Gilgit-Baltistan situa-se no extremo norte do Paquistão, na junção de três cadeias montanhosas (Himalaias, Karakorum e Kush Hindu) e dentro da região de Caxemira, alvo de disputas com a Índia.

O primeiro-ministro paquistanês Nawaz Sharif viajava para a região quando soube do acidente, tendo de imediato cancelado a visita que iria efetuar esta sexta-feira.

Este é um dos mais trágicos acidentes de aviação militar ocorrido no Paquistão nas últimas décadas. Em 1988, o embaixador norte-americano e umo general paquistanês morreram, conjuntamente com outras altas patentes militares, quando um C-130 caiu no sul do Paquistão, não deixando sobreviventes.