Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Descoberta imagem da musa de Lenine

  • 333

Arquivo Estatal da Federação Russa

O rosto de Apollinariya Yakubova - a revolucionária russa que foi descrita como uma “força primitiva da Terra Negra” de olhos faiscantes e que terá recusado casar-se com Lenine – foi finalmente conhecido, através de uma fotografia descoberta nos Arquivos Estatais da Federação Russa.

A fotografia - captada quando Apollinariya Yakubova se encontrava num campo de detenção siberiano e agora encontrada entre os meandros dos Arquivos Estatais da Federação Russa - desvenda finalmente o mistério sobre a aparência da revolucionária russa que muitos acreditam ter sido a grande paixão de Vladimir Lenine.

“Foi um prazer inesperado tê-la encontrado (…) Após 100 anos de mistério sobre a sua imagem, este foi resolvido. Isto é uma das alegrias da pesquisa em arquivos, porque na maioria consiste apenas em trabalho árduo”, afirmou Robert Henderson, especialista em História da Rússia da Universidade Queen Mary de Londres, em declarações ao “The Guardian”.

“Ela é uma beldade (…) Yakubova possuía muitas qualidades que haveriam de atrair mesmo aqueles com o coração mais empedernecido...”, referiu ao “The Independent”.

Lirocha era o diminutivo pelo qual Lenine tratava essa mulher pela qual teve uma enorme paixão. Os historiadores têm debatido se chegou a recuperar do desgosto de ela ter rejeitado a sua proposta de casamento.

Filha de um padre, Yakubova estudou no departamento de Física e de Matemáticas dos Cursos Superiores para Mulheres de São Petersburgo. Posteriormente deu aulas noturnas e de fim de semana a trabalhadores, altura em que se tornou amiga de Nadezhda Krupskaya, a mulher que viria a casar-se com Lenine.

Krupskaya descrevia a como uma “força primitiva da Terra Negra” de olhos faiscantes com um aroma de “frescos prados verdejantes”.

Tal como Lenine, também Yakubova esteve presa na Sibéria, devido à sua atividade política, mas conseguiu fugir para se refugiar em Londres, onde viria a organizar acesos debates políticos com refugiados russos.

Lenine passou grandes temporadas na cidade entre os anos de 1902 e 1911, onde conjuntamente com a sua mulher mantia uma relação próxima com Yakubova e com o seu marido.

A posição política dela ia no sentido de uma “democracia organizada”, enquanto Lenine era adepto do “centralismo" e os dois viriam a afastar-se cada vez mais ideologicamente.

Posteriormente, Yakubova regressou à Rússia, onde terá morrido algures entre os anos de 1913 e 1917.

Na investigação académica Henderson irá apresentar em dezembro de 2016, o historiador refere que a russa “possuía um espírito indomável e uma energia sem limites”.