Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Suécia e Rússia trocam acusações sobre abastecimento subaquático de energia

  • 333

Getty

Navios de guerra russos terão entrado por quatro vezes nos últimos dois meses em águas territoriais da Lituânia, levando alegadamente à interrupção das operações para a colocação de cabos subaquáticos que irão reduzir a dependência energética de Estados do Báltico em relação a Moscovo.

A Suécia vai esta segunda-feira voltar a expressar o seu protesto perante as autoridades de Moscovo, por navios de guerra russos terem alegadamente entrado por quatro vezes ao longo dos últimos dois meses em águas territoriais da Lituânia obrigando o navio lituano, que está a dar apoio à construção de uma linha de energia subaquática, a mudar a sua rota e levar à interrupção das obras em curso.

O caso está a causar alguma tensão entre os países envolvidos. O Ministério dos Negócios Estrangeiros lituano também tem sucessivamente expressado o seu protesto pelo sucedido, referindo “tentativas de interferir” na construção do cabo com 400 quilómetros que irá ligar a cidade portuária lituana de Klaipeda a Nybro, na costa da Suécia, reduzindo a dependência energética dos Estados do Báltico em relação a Moscovo.

“As autoridades russas nunca solicitaram às instituições lituanas ou receberam qualquer autorização prévia para tais atividades na área exclusiva económica da Lituânia”, refere um comunicado das autoridades lituanas, que convocaram o ministro dos Negócios Estrangeiros russo para lhe comunicar que consideram que os seus navios violaram a Convenção das Nações Unidas para a Lei dos Mares.

A Rússia não terá dado nenhuma explicação pelo sucedido. Segundo os media lituanos, um comandante naval russo disse que o navio lituano tinha de se manter afastado da área onde iam levar a cabo “exercícios militares”.

“Por agora, o cabo não está coberto com areia, e nós temos um navio especial a patrulhar a zona e a avisar outras embarcações para não o danificarem com redes ou âncoras”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros lituano, Linas Linkevicios, à rádio nacional do seu país. “O navio foi repetidamente repelido por navios militares russos”, afirmou.

Por seu turno, o ministro dos Negócios Estrangeiros sueco disse ao “Financial Times” que o comportamento dos navios russos foi “inaceitável”.

A Lituânia tem colaborado com a NATO nos recentes exercícios militares que a organização tem levado a cabo no Báltico.