Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Obama diz que a América está melhor com ela: Loretta Lynch, a primeira afro-americana a liderar a Justiça

  • 333

Loretta Lynch, procuradora-geral dos EUA

Kevin Lamarque/Reuters

Após cinco meses de impasse, dez senadores republicanos ajudaram a aprovar o nome indicado por Barak Obama para attorney-general, o mais alto cargo da Justiça do país

Custou mas já está. Indicada em novembro por Barak Obama para suceder a Eric Holder como chefe da Justiça americana, a procuradora federal Loretta Lynch teve que esperar cinco meses para ser confirmada pelo Senado como a próxima Secretária de Estado da Justiça. Será apenas a segunda mulher a ocupar o cargo, depois de Janet Reno (entre 1993 e 2001), mas é a primeira afro-americana a consegui-lo, em vésperas de completar 56 anos.

O impasse gerado em volta da indicação de Lynch chegou ao fim esta quinta-feira, com uma aprovação de 56 votos a favor e 43 contra, onde foram decisivos os votos de 10 senadores do Partido Republicano.

A procuradora tinha sido indicada por Obama quando era ainda a lei dos democratas que mandava no Senado, mas a nova maioria republicana não gostou de ouvir Lynch, durante a sua audiência de confirmação, em janeiro, defender uma ordem executiva de Obama para proteger milhões de imigrantes ilegais da ameaça de deportação.

Depois da notícia da confirmação, Obama - que foi colega de Lynch na escola de Direito de Harvard e que, na semana passada, já tinha criticado a demora na votação - afirmou que "a América está melhor" com esta decisão. Em sentido contrário, o senador pelo Texas, Ted Cruz, que anunciou a sua pré-candidatura à presidência em 2016, afirmou que, sob o comando de Lynch, haverá "mais ilegalidade, mais imprudência e mais abuso de poder".

Durante a sua audiência de confirmação, a 28 de janeiro, a agora nova secretária de Estado da Justiça disse que as suas principais prioridades eram a luta contra as ameaças terroristas e os crimes cibernéticos, e melhorar a relação entre a polícia e as comunidades minoritárias.

Lynch deverá assumir o cargo na segunda-feira, sucedendo a Holden, que apresentou a sua renúncia em 2014, após cinco anos no cargo.