Anterior
Marinha: furto de armas terá ocorrido durante a semana (vídeo SIC)
Seguinte
Mais de dois mil fogos na primeira quinzena de agosto
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Instituto da Água admite antecipar intervenção em praia de Peniche

Instituto da Água admite antecipar intervenção em praia de Peniche

Deslizamento de pedras numa falésia na Praia de São Bernardino, em Peniche, provocou ontem seis feridos
Lusa |
Na intervenção em São Bernardino serão aplicados 1,6 milhões de euros
Na intervenção em São Bernardino serão aplicados 1,6 milhões de euros / Paulo Cunha/Lusa

O Instituto da Água admite antecipar a consolidação da praia de S. Bernardino, em Peniche, onde ontem uma derrocada de pedras feriu seis pessoas, se esse for o resultado da avaliação técnica que vai ser efetuada, disse o presidente do INAG.

"Vai ser feita uma avaliação técnica que irá dizer se vale a pena antecipar a intervenção prevista para esta arriba", afirmou o presidente do INAG, Orlando Borges, durante uma visita à praia de S. Bernardino, onde uma derrocada de pedras provocou ferimentos a seis pessoas.

Orlando Borges confirmou que a consolidação da arriba de S. Bernardino tem execução prevista para 2012, no âmbito do plano de acção 2007/2013, que prevê intervenções em mais de uma centena de praias do país.

"São cerca de 18 milhões de euros que serão investidos para garantir a segurança de centenas de arribas onde há risco de queda de pedras", adiantou o presidente do INAG.

Risco de derrocada identificado em 2004


Só em S. Bernardino serão aplicados 1,6 milhões de euros, numa intervenção que, segundo a vice-presidente do Instituto, Ana Seixas, inclui "o desmonte de alguns blocos de pedra que estão mais instáveis e em risco de ruir, pregagens, colocação de redes de sustentação e drenagem de
águas".

O risco de derrocada da arriba estava identificado desde 2004 mas, segundo Orlando Borges, "nada fazia prever que esta intervenção fosse mais urgente que outras", afirmou, lamentando que "as pessoas não cumpram os avisos de segurança".

A derrocada teve lugar numa arriba com 12 metros de altura, mas a queda da maior parte das pedras foi travada por uma estrutura construída junto à linha de água, a cerca de seis metros de altura.

Área interdita


Resultaram ferimentos em seis pessoas, duas das quais foram transportadas para o Hospital das Caldas da Rainha, estando já estabilizadas e aguardando transferência para os hospitais da área de residência.

Dois outros feridos foram transportados para o Hospital de Peniche e outros dois, ente os quais uma criança de sete anos, foram assistidos no local com escoriações ligeiras.

O alerta foi dado às 14:51 horas e estiveram no local 16 bombeiros e sete viaturas. A Polícia Marítima procedeu já à interdição da área circundante com uma fita de proteção.
 


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 5 Comentar
ordenar por:
mais votados
intervenção na instruç
intervenção na instrução do jornalista
Uau! "Intervanção" em praia de Peniche.
E isto foi publicado no sítio do Expresso.
Parabéns ao Expresso e ao... "jornalista"???
Incumprimento
A verdade é que as pessoas não respeitam a sinalética, e depois as coisas acontecem.

No entanto, deixo aqui uma questão, que vejo em muitas praias do norte, e que um homem disse tambem ontem numa reportagem da rtp.

As concessionárias ocupam demasiado espaço nas praias, não deixando por vezes alternativas as pessoas para estarem na praia sem alugar barraca. Em tempos até proibiam de estar na zona entre as barracas e o mar. Acho que é uma situação a rever, pois nem metade das barracas são ocupadas, e cada vez vão ser menos, porque não há dinheiro. Porque estarem aqueles paus lá espetadosa estorvar?
Intervanção?
Que decepção, o jornal Expresso esta muito parecido com o "Globo", erros e mais erros de ortografia. Por favor nada de homenagens ao Lula da Silva.
Re: Instituto da Água admite antecipar intervanção
O que é uma intervanção?
Comentários 5 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub