19 de abril de 2014 às 13:32
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  Instituto da Água admite antecipar intervenção em praia de Peniche

Instituto da Água admite antecipar intervenção em praia de Peniche

Deslizamento de pedras numa falésia na Praia de São Bernardino, em Peniche, provocou ontem seis feridos
Lusa
Na intervenção em São Bernardino serão aplicados 1,6 milhões de euros Paulo Cunha/Lusa Na intervenção em São Bernardino serão aplicados 1,6 milhões de euros

O Instituto da Água admite antecipar a consolidação da praia de S. Bernardino, em Peniche, onde ontem uma derrocada de pedras feriu seis pessoas, se esse for o resultado da avaliação técnica que vai ser efetuada, disse o presidente do INAG.

"Vai ser feita uma avaliação técnica que irá dizer se vale a pena antecipar a intervenção prevista para esta arriba", afirmou o presidente do INAG, Orlando Borges, durante uma visita à praia de S. Bernardino, onde uma derrocada de pedras provocou ferimentos a seis pessoas.

Orlando Borges confirmou que a consolidação da arriba de S. Bernardino tem execução prevista para 2012, no âmbito do plano de acção 2007/2013, que prevê intervenções em mais de uma centena de praias do país.

"São cerca de 18 milhões de euros que serão investidos para garantir a segurança de centenas de arribas onde há risco de queda de pedras", adiantou o presidente do INAG.

Risco de derrocada identificado em 2004


Só em S. Bernardino serão aplicados 1,6 milhões de euros, numa intervenção que, segundo a vice-presidente do Instituto, Ana Seixas, inclui "o desmonte de alguns blocos de pedra que estão mais instáveis e em risco de ruir, pregagens, colocação de redes de sustentação e drenagem de
águas".

O risco de derrocada da arriba estava identificado desde 2004 mas, segundo Orlando Borges, "nada fazia prever que esta intervenção fosse mais urgente que outras", afirmou, lamentando que "as pessoas não cumpram os avisos de segurança".

A derrocada teve lugar numa arriba com 12 metros de altura, mas a queda da maior parte das pedras foi travada por uma estrutura construída junto à linha de água, a cerca de seis metros de altura.

Área interdita


Resultaram ferimentos em seis pessoas, duas das quais foram transportadas para o Hospital das Caldas da Rainha, estando já estabilizadas e aguardando transferência para os hospitais da área de residência.

Dois outros feridos foram transportados para o Hospital de Peniche e outros dois, ente os quais uma criança de sete anos, foram assistidos no local com escoriações ligeiras.

O alerta foi dado às 14:51 horas e estiveram no local 16 bombeiros e sete viaturas. A Polícia Marítima procedeu já à interdição da área circundante com uma fita de proteção.
 

Comentários 5 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
intervenção na instruç
intervenção na instrução do jornalista
Uau! "Intervanção" em praia de Peniche.
E isto foi publicado no sítio do Expresso.
Parabéns ao Expresso e ao... "jornalista"???
Incumprimento
A verdade é que as pessoas não respeitam a sinalética, e depois as coisas acontecem.

No entanto, deixo aqui uma questão, que vejo em muitas praias do norte, e que um homem disse tambem ontem numa reportagem da rtp.

As concessionárias ocupam demasiado espaço nas praias, não deixando por vezes alternativas as pessoas para estarem na praia sem alugar barraca. Em tempos até proibiam de estar na zona entre as barracas e o mar. Acho que é uma situação a rever, pois nem metade das barracas são ocupadas, e cada vez vão ser menos, porque não há dinheiro. Porque estarem aqueles paus lá espetadosa estorvar?
Intervanção?
Que decepção, o jornal Expresso esta muito parecido com o "Globo", erros e mais erros de ortografia. Por favor nada de homenagens ao Lula da Silva.
Re: Instituto da Água admite antecipar intervanção
O que é uma intervanção?
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub